Gastronomia

Jamie Oliver promove ação mundial para o direito à educação alimentar

O chef inglês faz campanha mundial para pregar uma alimentação mais saudável para crianças

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Jamie Oliver
O chef inglês está empenhado em melhorar a alimentação das crianças (Foto: Divulgação)

Jamie Oliver criou o Food Revolution Day (o dia da revolução da comida, em tradução livre), celebrado hoje (15). O chef inglês defende o direito à educação alimentar nas escolas e o combate à obesidade infantil. Este é o 4º ano do evento, mas o 1° no Brasil, devido à recente inauguração de seu primeiro restaurante por aqui, o Jamie's Italian

+ Confira a entrevista exclusiva com Jamie Oliver

Em vídeo, Oliver explica a importância da campanha, apontando dados sobre diabetes e obesidade infantil.

O evento até ganhou uma música com participação de famosos como Paul McCartney, Ed Sheeran e o ator Hugh Jackman. Você pode conferir a produção aqui

Jamie Oliver
Para Oliver, a educação alimentar deve ser ensinada nas escolas (Foto: Divulgação)

O site Tudo Gostoso e a Gastromotiva, organização que promove a inclusão social através da gastronomia, organizaram um evento para crianças na unidade da Mooca da Universidade Anhembi Morumbi. Os participantes foram convidados pela organização. Uma aula do próprio Jamie Oliver foi transmitida ao vivo para os pequenos, às 11h30. Em seguida, eles participaram de uma oficina para testar seus cinco sentidos e identificar alguns alimentos saudáveis. 

O Jamie's Italian convidou trinta crianças de 8 a 12 anos para uma série de atividades pela manhã. Elas aprenderam a montar um sanduíche saudável com o chef executivo Lisandro Lauretti. A receita leva legumes como pepino e pimentão. A garotada também teve uma oficina interativa com frutas e legumes e ganharam um smoothie.

+ Veja fotos inéditas do Eataly 

Jamie Oliver
Foco na popularidade: "A minha praia é ter um restaurante cheio" (Foto: Horst Friedrichs)

Jamie Oliver também lançou um abaixo-assinado no Brasil para mobilizar as pessoas. Mais de um milhão de assinaturas já foram coletadas. Você pode ter acesso a ele neste link.

Fonte: VEJA SÃO PAULO