Copa

O teste do trem e do metrô até o Itaquerão

Trajeto pelos trilhos da CPTM mostrou-se mais eficiente

Por: Pedro Henrique Araújo, com colaboração de Mariana Barros

Capa 2240 - Itaquerão - jogador Ronaldo
Ronaldo: elogios ao transporte público (Foto: Ayrton Vignola/AE)

Em setembro, o ex-craque Ronaldo visitou o Itaquerão, embarcando para lá na estação de trem da Luz. “Cheguei em apenas dezenove minutos”, elogiou ele. A estratégia dos organizadores é fazer com que a maior parte dos 68.000 espectadores também vá ao futuro estádio por transporte público. A estação Corinthians-Itaquera, bem em frente à futura arena (dá para ver a obra pela janela do vagão), é servida tanto pelo Metrô quanto pela CPTM. Quem vai de metrô saindo da Zona Oeste deve se preparar para uma viagem de quase uma hora.

+ Conheça o novo estádio de São Paulo, o Itaquerão

+ Como é a vida de Ronaldo na cidade de São Paulo

Partindo das catracas da Vila Madalena, é preciso passar por uma baldeação no Paraíso e outra na Sé. Na Copa, os que optarem pelos trens da CPTM farão melhor negócio. Além de oferecer conforto semelhante ao do metrô, com ar-condicionado e a mesma estrutura de bancos, a rede da CPTM proporciona um trajeto muito mais rápido: 31 minutos da Vila Madalena ao Itaquerão. Isso porque a linha Coral, que vai da Luz ao extremo leste, faz apenas duas paradas até o novo estádio (pelo metrô, são onze paradas a partir da Sé).

+ 30 programas perto do metrô

+ Vinte e cinco bons programas nos arredores da Linha Amarela

Nos dias de jogo, a ideia é fazer um expresso direto da Luz a Itaquera. Muito antes disso, um problema precisa ser resolvido com urgência: as filas para recarregar o Bilhete Único ou comprar passagens. Na última terça (18), vários terminais de autoatendimento estavam fora do ar e os guichês, entupidos.

Fonte: VEJA SÃO PAULO