Copa

O dia em que Maradona foi parar na casa de dona Jucielda em Itaquera

O craque argentino gravou um programa de TV com o presidente do Equador, Rafael Correa, no sobrado próximo ao estádio do Corinthians

Por: Nataly Costa - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Quando a advogada Jucielda Marques da Silva, de 53 anos, alugou sua casa de três andares com vista panorâmica para a Arena Corinthians, em Itaquera, ela já esperava uma movimentação fora do comum durante o mês da Copa. Afinal, o imóvel é base da equipe do canal ESPN, que montou na laje um estúdio temporário, utilizado para a cobertura dos jogos em São Paulo.

 

Na quinta-feira (12), abertura do evento, o entra e sai de apresentadores, comentaristas e equipes de filmagem era grande. Mas nada prepararia Jucielda para aqueles dois visitantes em especial. "Eu sabia que poderia vir gente famosa aqui, mas nem tanto, né?". 

Por volta das 17 horas da quinta, o pessoal da TV pediu que os donos da casa dessem uma segurada nos vizinhos porque o craque argentino Diego Maradona estava chegando. Foi uma correria.

O marido, Laelson da Silva, ficou no portão fazendo papel de segurança. Jucielda foi dar um jeitinho na casa. Maradona chegou com seis sobrinhos, cumprimentou todo mundo rapidamente e pediu à equipe da ESPN para aproveitar a estrutura montada para gravar uma rápida entrevista para o seu próprio programa, o De Zurda, que passa no canal estatal Telesur, da Venezuela, e é retransmitido também na Argentina.

O entrevistado de Diego Maradona era Rafael Correa, presidente do Equador, que estava em São Paulo acompanhando a abertura da Copa ao lado da presidente Dilma Rousseff. 

Foi outra correria. Jucielda acionou Nice, sua amiga e cozinheira de mão cheia, que começou a movimentar as panelas. Ainda na frente do portão lidando com a criançada da rua, Laelson assistiu incrédulo à chegada de um presidente sul-americano e seus assessores na estreita Rua Guaiquicá, onde o casal mora há 12 anos e por onde raramente passa alguém importante, no máximo um vereador. 

Suíte presidencial

Até mais à vontade que Maradona, Rafael Correa fez questão de cumprimentar todo mundo e dedicar uma atenção especial aos donos da casa. Em um papel timbrado com um cartão de visitas adesivado em uma das dobras, entregou dois presentes ao casal: um álbum da Fifa e um livro sobre o chapéu Panamá, que é fabricado no Equador.

"Depois da gravação ele quis descansar e cedemos a nossa suíte. Os assessores só pediram que a gente colocasse lençóis brancos", conta Jucielda. Pedido atendido. 

+ Vote na Copa de Petiscos

Quando acordou da soneca na cama dos Silva, o presidente equatoriano tomou um banho e foi jantar. Comeu frango à passarinho, batata frita e linguiça - mesmo cardápio servido aos sobrinhos de Maradona. "O seu Rafael é uma simpatia. Quando ele saiu na varanda para dar tchau para os vizinhos, pedi para ficar ao lado dele", conta a cozinheira Nice. 

Ação Promocional: visite o Museu do Futebol de graça

Eram 21h30 da quinta-feira quando os convidados ilustres de Itaquera foram embora. Jucielda foi direto para o Facebook postar as poucas fotos que conseguiu tirar com os assessores das duas celebridades - nenhuma com o jogador ou o presidente. "A gente não queria incomodar", explicou. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO