Crianças

Investir na garotada pode ser um bom negócio

Academia de ginástica, evento de moda e feira de festas são exemplos de investimentos nos baixinhos

Por: Giovana Romani - Atualizado em

Com seus 2 anos e meio de idade, Lara Franzim acaba de fazer os primeiros exercícios nas barras paralelas assimétricas. Calma lá, não se trata de nenhum novo prodígio da ginástica olímpica brasileira. Ela é uma das vinte crianças que passaram uma manhã inteira conhecendo as novidades da My Gym, em Moema, filial de uma rede de academias americana especializada em atividades físicas para a garotada, com inauguração prevista para sábado (14). No mesmo fim de semana, as meninas (e os meninos também, por que não?) antenadas com moda poderão desfrutar duas tardes inteiras de desfiles e brincadeiras na oitava edição do Fashion Weekend Kids. Realizado no Shopping Iguatemi, o evento marcará o lançamento da nova coleção de seis grifes nacionais. "Mais empresários começaram a perceber que as crianças são ótimos clientes", afirma Ana Cury, organizadora da semaninha de moda. É o caso dos cerca de setenta expositores da 2ª Megafestas Kids, feira de festas infantis que ocorrerá entre os próximos dias 20 e 22 no Terraço Daslu. Enquanto os pais conhecem as novidades do mundo dos bufês, os filhos pilotam carrinhos de autorama e curtem uma minibalada com drinques não alcoólicos.

Eles estão mesmo com tudo. "O filho tem cada vez mais poder de decisão nas compras familiares", diz João Matta, professor da Escola Superior de Propaganda e Marketing. "Os maiores de 8 anos já reconhecem o valor de uma marca." No estado de São Paulo, só o mercado de vestuário infantil fatura cerca de 4,3 bilhões de reais ao ano. Não surpreende, então, o fato de que a capital paulista tenha uma gama cada vez maior de serviços e atrações pensados exclusivamente para a meninada.

A My Gym quer conquistar os pequenos a partir de 6 semanas de vida com atividades lúdicas. "Desenvolvemos não só o lado físico, mas também o emocional e o cognitivo", explica Thais Japequino Peixoto, responsável pela introdução do método americano no Brasil. "Tudo sem estimular a competição." Na academia há piscina de bolinhas, trampolim, trave de equilíbrio, argolas e aquelas barrinhas assimétricas que Lara adorou. Cada aparelho tem tamanho e formato adaptados para diferentes faixas etárias. E nada de pesos ou musculação. Oito instrutores, entre pedagogos, fisioterapeutas e profissionais de educação física, dividem-se na missão de controlar e ensinar os baixinhos para lá de hiperativos. Um dos pais, ou a babá, deve acompanhar as aulas das crianças de até 3 anos e meio. O proprietário Leandro Japequino Peixoto investiu 2 milhões de reais no negócio – somando a compra da master franquia, o aluguel do imóvel e os estudos de mercado. A escolha de Moema para a sede, por exemplo, não foi aleatória. "É um bairro nobre cheio de jovens casais", afirma. A matrícula custa 150 reais e a mensalidade, a partir de 280 reais.

As cifras do universo infantil, aliás, são dignas de gente grande. Vestidinhos de marcas descoladas, como as participantes do Fashion Weekend Kids, dificilmente saem por menos de 200 reais. Na primeira edição do evento, realizada em 2005, o investimento total foi de 150 000 reais. Agora, o custo é oito vezes maior, de 1,2 milhão de reais. As criações não serão exibidas por modelinhos contratados, mas por clientes mirins. "Eles ficam muito envaidecidos na passarela", conta Ana Cury.

• My Gym. Rua Periquito, 108, Moema, Tel. 5084-8007. www.mygymbrasil.com.br.

• 8º Fashion Weekend Kids. Sábado (14) e domingo (15), das 14h às 20h. Shopping Iguatemi. Ingressos: 150 reais (para até um adulto e duas crianças).

• 2ª Megafestas Kids. De 20 a 22 de março, das 11h às 19h. Daslu, Rua Chedid Jafet, 131, Vila Olímpia. Ingressos: 15 e 30 reais. www.megafestas.com.br.

Fonte: VEJA SÃO PAULO