Religião

Personalidades que inspiraram os aspirantes a padre-popstar

Conhecidos ou não fora do meio católico, nomes como Reginaldo Manzotti abriram caminho para a nova leva de sacerdotes

Por: Claudia Jordão [colaborou Jéssika Torrezan]

Capa 2272 - Padres pop - Fábio de Melo
Fábio de Melo, contratado da Sony Music: espetáculos de 100.000 reais (Foto: Egberto Nogueira)

No meio do caminho entre o padre Marcelo Rossi e a nova geração de religiosos midiáticos, Fábio de Melo, de 42 anos, levou a música católica para o topo das paradas. Nascido na cidade de Formiga, no interior de Minas Gerais, ele vive num sítio em Taubaté, a 130 quilômetros da capital paulista, e já vendeu mais de 2 milhões de CDs, quase 1 milhão de DVDs, além de 500.000 livros.

+ Nova geração de padres pop dá o que falar na cidade

+ O que os fiéis falam por aí

Bonito e carismático, é representado pela gravadora Sony Music desde o ano passado — um show dele custa em média 100.000 reais. Trata-se, ao lado de Marcelo Rossi, de uma das estrelas do grande momento da música religiosa. Entre os adeptos da religião, porém, há outros nomes consagrados, que inspiram os emergentes retratados nas últimas páginas a seguir seus passos.

Capa 2272 - Padres pop - Reginaldo Manzotti
Reginaldo Manzotti: missas mensais para mais de 2.000 pessoas em São Paulo (Foto: Divulgação)

O principal exemplo é o padre paranaense Reginaldo Manzotti, de 43 anos. De personalidade forte — chegou a chamar uma ouvinte de “safada” em programa de rádio ao saber que ela tinha um caso com o marido da vizinha —, já vendeu 810.000 discos e 800.000 livros. Em seus shows, toca de samba a reggae. “Para ter público eclético, é preciso diversificar o repertório”, diz. Desde o início do ano, vem uma vez por mês a São Paulo rezar missa para mais de 2.000 pessoas no Santuário São Judas Tadeu, na Zona Sul.

Capa 2272 - Padres pop - Hewaldo Trevisan
Hewaldo Trevisan: CDs com participação de artistas como Bruno e Marrone (Foto: Divulgação)

Mais versátil é o padre Hewaldo Trevisan, de 51 anos, que já promoveu até um navio temático, o Cruzeiro Católico. Nos encontros semanais, nas dependências do Instituto Amigos da Fé, em Santo Amaro, divulga um pouco de seus trabalhos — um livro e quatro CDs, com participação de cantores como Jair Rodrigues, Frank Aguiar e Bruno e Marrone.

Fonte: VEJA SÃO PAULO