Noite

Preço da cerveja long neck chega a 23 reais nas baladas da cidade

Em trinta casas noturnas, valor da cerveja long neck varia de 8 a 23 reais. Na Pink Elephant, clube luxuoso da Vila Nova Conceição, a Heineken é vendida por 20 reais

Por: Marcelo Cobra e Marcus Oliveira - Atualizado em

provocateur
Na boate Provocateur: a long neck de Amstel Pulse custa 23 reais  (Foto: Raul Zito)

Não é novidade que os preços na capital paulistana andam nas alturas. Mas quem gosta de curtir uma balada com os amigos precisa ficar atento: nas casas noturnas da cidade, uma das bebidas mais consumidas, a garrafa long neck de cerveja, pode custar até 23 reais.

+ Preço da caipirinha tem variação de até 247%

Os valores da tabela abaixo são resultado de um levantamento feito durante uma semana pela reportagem de VEJA SÃO PAULO. Ela mostra o valor das long necks mais baratas e mais caras vendidas em cada um dos trinta endereços consultados.

+ Pão na chapa com pingado pode custar até R$ 16,50

+ Preço do cheese salada varia em até 200% nas lanchonetes paulistanas

Casas tradicionais do cenário noturno da cidade, como D-Edge, na Barra Funda, e A Lôca, na Bela Vista, trabalham apenas com ceveja em lata, por isso ficam fora da seleção. Também não aparecem na lista o Alley, na Barra Funda, e o Alberta #3, no centro, que estão temporariamente fechados para manutenção. 

Os preços mais altos, claro, estão em casas voltadas para o público AAA. Com sede em Nova York, a boate Provocateur inaugurou em agosto do ano passado uma filial no Itaim que cobra 23 reais pela garrafa de 330 mililitros da holandesa Amstel Pulse. Procurada para justificar o valor cobrado, a administração da casa não se manifestou até a data de publicação desta reportagem. No mesmo bairo, a apenas 900 metros da casa, o She Rocks, na Rua Tabapuã, serve a mesma Amstel por 16 reais.

Enquanto isso, os 16 reais equivalem a uma long neck das marcas Budweiser ou Stella Artois do Club A WTC São Paulo, que relaciona os valores à estrutura da casa. "Estamos localizados no complexo WTC e oferecemos aos nossos frequentadores excelência em atendimento, a melhor programação de shows e baladas, sempre com grandes atrações, em um ambiente único em São Paulo", afirma a assessoria da casa. 

Na Pink Elephant, clube luxuoso da Vila Nova Conceição, a Heineken é vendida por 20 reais. "Cobramos esse preço pois a casa tem um investimeto muito alto para funcionar na cidade, mantendo um padrão elevado de atendimento e gastos com itens que vão da cabine do DJ até a personalização do atendimento", alegam os sócios por meio da assessoria. 

No outro extremo, casas como a Funhouse, na Consolação, com festas que passeiam pelo rock, eletrônico e pop, as long necks de Bohemia, Brahma e Skol custam 8 reais cada uma, valor mais baixo da lista. "Fazemos uma pesquisa e seguimos uma média de mercado. Pensamos também no perfil do público que frequenta o estabelecimento",  argumenta a direção da balada. Esse valor também é cobrado na casa de rock Inferno, no Baixo Augusta, e na de samba-rock Diquinta, na Vila Leopoldina. 

indice-long-neck-02
(Foto: Renata Aguiar)

 

 

 

 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO