Cinema

Indicados ao Oscar que valem a pena assistir

Com número maior de indicados e dezoito títulos em cartaz na cidade, saiba quais são as melhores opções

Por: Miguel Barbieri Jr. - Atualizado em

cinema 2155 1 fita branca
O drama alemão 'A Fita Branca': memoráveis imagens em preto e branco (Foto: Divulgação)

Na noite deste domingo (7), Hollywood estará na boca do mundo. Tudo por causa da 82ª cerimônia de entrega do Oscar, o prêmio mais importante da indústria cinematográfica. Técnicos, diretores e astros do quilate de Morgan Freeman, Meryl Streep e James Cameron vão desfilar pelo tapete vermelho e, em seguida, terão (ou não) seu nome lembrado na abertura do famigerado envelope. Em sintonia com os lançamentos nos Estados Unidos, as salas paulistanas exibem dezoito fitas indicadas a alguma estatueta — doze delas concorrem aos troféus principais (melhor filme, direção, ator e atriz). Mas, diante de uma temporada de títulos badalados, o que realmente vale a pena ser visto no cinema?

 

Divulgação
Avatar
(Foto: Divulgação)
A superprodução Avatar: obrigatória em projeção em 3D

Apontados em nove categorias cada um, 'Guerra ao Terror' e 'Avatar' dividem os holofotes. O primeiro foi lançado em DVD no ano passado e encontra no conforto doméstico uma conveniente opção. Já 'Avatar', a superprodução com o maior faturamento da história, merece uma obrigatória análise em projeção em 3D — de preferência na sala Imax do Bourbon Shopping. O mesmo se aplica a Bastardos Inglórios. Embora esteja disponível nas videolocadoras, essa deliciosa comédia de guerra comandada por Quentin Tarantino tem como pano de fundo uma tocante homenagem ao próprio cinema (a fita continua em cartaz apenas no HSBC Belas Artes e no Cine Segall).

 

Divulgação
Direito de Amar
(Foto: Divulgação)
A superprodução Direito de Amar: estreia na direção do estilista Tom FordD

Da safra bonitos e nada ordinários, 'Amor sem Escalas' e 'Educação' trazem saborosos conflitos românticos sem o apelo do final feliz. Eis uma ótima dobradinha que pede um bate-papo após a sessão. Igualmente formidável é a estreia do estilista americano Tom Ford no drama 'Direito de Amar', responsável pela indicação do inglês Colin Firth ao prêmio de melhor ator. Um dos pontos altos, a caprichada fotografia traz tonalidades quentes e frias para retratar os altos e baixos na vida de um professor homossexual da década de 60. Dois candidatos a melhor filme estrangeiro também fazem bonito na tela grande. O argentino 'O Segredo dos Seus Olhos' exibe um sensacional plano-sequência dentro de um estádio de futebol. Mas as imagens mais marcantes estão, contudo, no alemão 'A Fita Branca', no páreo ainda pelo troféu de melhor fotografia. Trata-se de um fabuloso trabalho em preto e branco do austríaco Christian Berger, já laureado pelo sindicato americano dos diretores de fotografia.

Fonte: VEJA SÃO PAULO