Incêndio

Academia diz que prejuízo com incêndio é de 4 milhões de reais

Incêndio no centro atingiu 46 pessoas. Smart Fit não tinha alvará, mas nega irregularidades

Por: Carolina Romanini, Fábio Lemos Lopes e Nataly Costa - Atualizado em

O incêndio de grandes proporções causou pânico no Centro de São Paulo na madrugada desta sexta-feira (8) causou um prejuízo de 4 milhões de reais à rede Smart Fit, segundo nota divulgada pela direção. A academia da Avenida Ipiranga era recém-inaugurada e funcionava há menos de uma semana. O grupo tem 80 unidades espalhadas pelo Brasil. 

Segundo a Prefeitura, a academia onde o incêndio supostamente começou não tinha alvará de funcionamento e não havia nem o pedido para o documento. "Ao pedir o alvará, os responsáveis pela academia teriam de apresentar, entre outros documentos, um AVS (Auto de Verificação de Segurança) do Corpo de Bombeiros específico." De acordo com os bombeiros, o prédio não tinha o Auto de Vistoria de Corpo de Bombeiros (AVCB) atualizado. Na última vistoria, feita em março, foram pedidos ajustes em extintores e saídas de emergência, o que não foi cumprido. 

A academia nega. "Todo o projeto e construção da unidade Smart Fit República foram realizadas seguindo as normas e procedimentos das autoridades. Cumprindo exigências do Corpo de Bombeiros, as instalações recém-inauguradas estavam devidamente equipadas com sistema de incêndio, incluindo alarmes, hidrantes, iluminação e extintores. Em relação ao AVCB, sua emissão está a cargo do proprietário do imóvel, que compreende também o edifício comercial adjacente", diz a nota. "No momento em que o telhado foi atingido pelo incêndio, provavelmente iniciado em algum andar superior, a academia estava fechada, não havia ninguém no seu interior e todos os equipamentos estavam desligados."

A empresa confirma, porém, que ainda não tinha o alvará de funcionamento do local. "O pedido de Licença de Funcionamento foi protocolado por meio do SLEA – Sistema de Licenciamento Eletrônicos de Atividades – e está seguindo sua tramitação normal."

Fogo na madrugada

O fogo começou por volta da 1h em um prédio de dezoito andares na Avenida Ipiranga, número 974, esquina com a Rua do Boticário, onde funciona a academia Smart Fit. A unidade foi inaugurada esta semana. A fumaça subiu e invadiu um edifício vizinho, residencial, de 25 andares. Assustados, moradores deixaram o local correndo. Alguns foram resgatados ao pular pela janela.

+ “Acordei com o barulho dos vidros da janela explodindo”, diz moradora

 

Das 46 pessoas atendidas, dezenove foram foram encaminhadas a três hospitais da região e pelo menos uma está em estado grave, com 15% do rosto queimado. De acordo com a Defesa Civil, no prédio moravam muitos estrangeiros, sobretudo chineses e bolivianos. 

Apesar de a academia ter ficado destruída, o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Walmir Correa Leite disse que não é possível afirmar que o incêndio começou na unidade. “Sabemos que o fogo teve início nos primeiros andares e depois se alastrou a partir do quarto andar do prédio residencial, provavelmente, queimando as cortinas.”

Incêndio Avenida Ipiranga
A academia ficou totalmente destruída  (Foto: Carolina Romanini)

Já capitão do Corpo de Bombeiros Marcelo Nogueira explicou que as lajes do sétimo e oitavo andares do prédio residencial “se perderam”. Entretanto, ele não acredita em novos desmoronamentos. “Pela minha experiência, acho que o que tinha que acontecer já aconteceu”. Apesar disso, o local passará ainda por nova vistoria da Defesa Civil, já que a estrutura ficou comprometida.

Incêndio Avenida Ipiranga
Moradores retiram objetos do prédio vizinho ao edifício onde começou o incêndio (Foto: Carolina Romanini)

Feridos

Dezenove pessoas foram levadas para os hospitais Vergueiro, Santa Casa e das Clínicas. Oito pacientes deram entrada na Santa Casa. Três já receberam alta, quatro estão em estado de observação e um paciente segue em estado grave. A vítima, de 70 anos, teve 15% da face queimada. As mãos também foram afetadas e ele está entubado para preservação das vias aéreas.

Das seis encaminhadas para o Hospital das Clínicas, quatro já receberam alta e duas permanecem internadas em estado de observação. Já dos cinco pacientes que deram entrada no Hospital Vergueiro, quatro receberam alta e um permanece em observação.

Incêndio Avenida Ipiranga
O teto da academia desabou. Um buraco foi aberto no edifício para os bombeiros conseguirem sair (Foto: Divulgação Corpo de Bombeiros)

Resgate

O coordenador da Defesa Civil Jair Paca de Lima disse que algumas portas foram arrombadas durante o resgate. “O serviço foi dificultado já que aqui moram muitos idosos e estrangeiros.” Por volta das 10 horas, os moradores puderam retirar medicamentos e pertences. Ainda não existe a previsão de quando o prédio será liberado. 

No total, 150 homens do Corpo de Bombeiros em 45 viaturas foram para o local para combater as chamas. O teto da academia desabou. Um sargento dos bombeiros precisou abrir um buraco na parede do edifício para a equipe que estava dentro sair. O trabalho de rescaldo continua no local.

Fonte: VEJA SÃO PAULO