Cidade

Sem Habite-se, Shopping Cidade São Paulo tem abertura adiada

Empreendimento construído onde ficava antiga mansão Matarazzo tem 160 lojas distribuídas em cinco andares

Por: Adriana Farias - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

A inauguração do Shopping Cidade São Paulo, na Avenida Paulista, que aconteceria nesta quinta-feira (23) foi adiada. A previsão é que o centro comercial seja aberto no próximo dia 29. Segundo a assessoria de imprensa da CCP (Cyrela Comercial Properties), a companhia aguarda o envio do Habite-se pela prefeitura, documento que autoriza o início da utilização efetiva do imóvel.

“Em função do planejamento que envolve uma operação desta natureza, tem de assumir expectativas de prazos que nem sempre estão na sua alçada de gerenciamento”, diz a CCP, em nota. “Reitera que todos os seus compromissos estão sendo cumpridos regularmente e permanece no aguardo da liberação do documento”.

+ Centro de compras consumiu 500 milhões de reais

De acordo com lojistas, a incorporadora estimou com a prefeitura que a entrega do documento viesse antes do prazo de trinta dias e, por isso, havia estabelecido a data de inauguração para o dia 23. 

Erguido no mesmo terreno da antiga mansão Matarazzo, o centro de compras terá 160 lojas, praça de alimentação, teatro e cinema distribuídos por cinco pisos. Um prédio anexo, a Torre Matarazzo, será finalizado até junho. O complexo inteiro consumiu 500 milhões de reais. No shopping, o maior boxe será ocupado pela loja de brinquedos Ri Happy. Ela será inaugurada em julho e terá 953 metros quadrados.

Novo shopping em Guarulhos tem marcas estrangeiras e hits paulistanos

A chegada do novo empreendimento implica mais impacto em um pedaço da metrópole pressionado pelo fluxo diário de 1,5 milhão de pessoas e 2 400 veículos por hora. Com o objetivo de reduzir os danos, a incorporadora acertou a realização de uma série de contrapartidas. Uma delas foi o alargamento das ruas Pamplona e São Carlos do Pinhal — nessa segunda fica a entrada principal do shopping. Elas ganharam uma faixa a mais. Outra foi a criação de uma praça pública de 2 400 metros quadrados com mudas da Mata Atlântica e conservação de sessenta árvores nativas. Os clientes também vão contar com um bicicletário com 170 vagas.

COMPRAS E NEGÓCIOS

Alguns dos principais números do empreendimento

O COMPLEXO 

500 milhõesde reais de investimento

12 000 metros quadradosde área total do terreno

123 000 metros quadradosde área construída

O SHOPPING

17 500 metros quadradosde área bruta locável

160 lojas

1 500 vagas de estacionamento

170 vagas de bicicletário

2 400 metros quadrados de praça

A TORRE

22 000 metros quadrados de área construída

13 andares

Fonte: VEJA SÃO PAULO