Vinho

Importadoras de vinho atraem público com cursos e degustação

Lojas paulistanas conquistam jovens e mulheres com novos serviços

Por: Roberta Gerosa - Atualizado em

Que tal ir beber um vinho na temperatura correta, servido em taças adequadas, e pagar o preço do catálogo? O melhor caminho, como muitos paulistanos já descobriram, são as lojas de importadoras. Essas casas vêm criando uma série de serviços para conquistar novos clientes – e agradar aos antigos, claro. O espaço reservado para wine bar, que ganha adeptos entre aqueles que apreciam um tinto ou um branco no fim da tarde, é apenas um desses atrativos. A Casa do Porto, por exemplo, dispõe de 32 lugares para os apreciadores provarem seus rótulos prediletos, acompanhados de pratos rápidos. Na Vinea Store, no Paraíso, o wine bar funciona de segunda a sábado, a partir das 10 horas, e oferece como opções de acompanhamento cestas de pães, azeite extravirgem e queijos selecionados.

Lojas de importadoras de vinho não são uma novidade em São Paulo. Mas a tendência veio para ficar e o número de casas cresceu nos últimos anos. Dos 35 endereços selecionados pela edição especial Comer & Beber – O Melhor da Cidade, de Veja São Paulo, quinze são de importadoras que vendem diretamente seus rótulos ao consumidor. Ter um catálogo variado e qualificado não basta. Para atrair um público cada vez mais jovem e feminino, as empresas investem em decoração e em degustações que aproximem o consumidor da cultura do vinho. Para Otávio Piva de Albuquerque, presidente da Expand, as casas clássicas ficaram defasadas. "Elas afastam os clientes", acredita. Para quebrar a aura de formalidade que envolve a bebida, ele começou uma repaginação das lojas do grupo. O primeiro passo foi a inauguração, no fim de novembro, da filial do Shopping Iguatemi. "Queremos mostrar que não é preciso ter medo do vinho", diz Piva. Localizada na esquina das ruas Padre João Manuel e Estados Unidos, nos Jardins, outra importadora, a World Wine, recebeu o prêmio de melhor design de interiores de 2006 pela Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura. Veja a seguir uma seleção de lojas de importadoras e indicações de vinhos frescos para brindar o verão de 2007.

Do centro para os Jardins

Diferente do endereço da matriz, no centro, a filial da World Wine nos Jardins foi projetada pelos arquitetos Marcelo Couto e Olegário Vasconcelos para impressionar o cliente da região. Prateleiras futuristas em forma curvilínea dão a sensação de movimento e facilitam o acesso às 1 400 garrafas espalhadas pela nave central. Outros 5 000 vinhos parecem flutuar nos painéis de madeira onde ficam encaixados. No fundo, em uma adega climatizada com paredes revestidas de mosaico português, estão armazenadas as jóias da coroa: 400 dos rótulos mais caros e raros da Itália e da França. As degustações e os jantares harmonizados acontecem no mezanino, que está equipado com cozinha e uma mesa de catorze lugares.

Sugestão de vinho: Gentil 2005, Hugel & Fils – França (48 reais)

Onde fica: Rua Padre João Manuel, 1269, Jardim Paulista, 3085-3055. 10h/20h (sáb. até 18h; fecha dom.)

Em nova embalagem

O novo endereço da Expand na cidade, no Iguatemi, é resultado de um projeto de renovação que pretende atrair o público jovem e feminino que freqüenta o shopping. Rótulos de oitenta regiões e treze países do catálogo ficam expostos sobre amplas bancadas em suportes desenhados especialmente por uma equipe de arquitetos liderados pela gerente de marketing, Tatiana Piva de Albuquerque Sartori. Uma comunicação visual moderna, com cartazes coloridos espalhados pelo interior da loja, traz informações sobre os vinhos, e monitores de plasma exibem filmes com produtores. "Queremos contar o que está dentro das garrafas", diz Tatiana. O cliente também pode escolher um rótulo na prateleira e beber em uma das mesas do pequeno wine bar pelo mesmo preço da etiqueta.

Sugestão de vinho: Prosecco di Valdobbiadene DOC Rustico, Nino Franco – Itália (64 reais)

Onde fica: Shopping Iguatemi, 3037-7001. 10h/22h (dom. 14h/20h)

Em taça e na garrafa

Esta loja no Paraíso atende principalmente os moradores e profissionais da região. Além de importar tintos e brancos do Chile e da Argentina, a Vinea Store tem uma boa variedade de espumantes brasileiros e oferece rótulos de outros catálogos em suas prateleiras. Brancos e espumantes, que são servidos em temperatura mais baixa, ficam armazenados em adega climatizada, longe dos tintos. No wine bar, com 21 lugares, as garrafas compradas na loja podem ser acompanhadas de cestas de pães, azeite extravirgem e queijos selecionados. Quatro rótulos, dois nacionais e dois de importação exclusiva, são servidos em taça. No 2º andar funciona uma sala de cursos e degustações.

Sugestão de vinho: Cartagena Chardonnay 2002, Casa Marin – Chile (49 reais)

Onde fica: Rua Manuel da Nóbrega, 1014, Paraíso, 3052-2356. 10h/20h (sáb. até 16h; fecha dom.)

Bate-papos e degustações semanais

Entre os 260 rótulos disponíveis na Enoteca Fasano, há um leque variado de produtos do sul da França e da Itália, com preços a partir de 25 reais. No espaço central da loja, uma mesa com catorze lugares domina o ambiente. Ali acontecem os bate-papos comandados pelo sommelier Gianni Tartari. "Temos programação tanto para quem está acostumado a grandes rótulos como para aqueles que estão se iniciando na bebida", diz Tartari. O calendário semanal das degustações, que pode ser consultado no site da importadora (www.enotecafasano.com.br), é uma das grandes apostas de divulgação da Enoteca Fasano. No balcão do bar, três vinhos estão reservados para degustação livre e são alterados de quinze em quinze dias.

Sugestão de vinho: Gran Chardonnay 2005, R.J. Viñedos – Chile (55 reais)

Onde fica: Rua Amauri, 255, Itaim Bibi, 3168-1255. 10h/20h (sáb. até 18h; fecha dom.)

No caminho inverso

Diferentemente de outras importadoras, a Terroir, com sede no Itaim Bibi, escolheu como endereço de sua primeira filial a região central da cidade. Parte do projeto de revitalização da área, o espaço ocupado pela loja foi totalmente reformado e planejado para armazenar a seleção de 800 rótulos de diversos produtores em ambiente climatizado. O público-alvo são os paulistanos que trabalham ali e passaram a contar com um atendimento especializado, além de poder provar os rótulos escolhidos na prateleira enquanto almoçam no bistrô que funciona nos fundos, o Cucina dei Piaceri.

Sugestão de vinho: Pomino Bianco 2005, Frescobaldi – Itália (75 reais)

Onde fica: Rua Aurora, 872, centro, 2109-1500. 9h/20h (sáb. até 16h; fecha dom.)

Para apreciadores de vinhos e charutos

A Casa do Porto é forrada de tintos de Bordeaux e de vinícolas de outras regiões da França e do Chile. Na adega climatizada repousam garrafas magnum de Mouton Rothschild de várias safras (a mais "barata" custa 4.000 reais). Mas calma! Nos fundos do sofisticado endereço funciona um agradabilíssimo wine bar com capacidade para até 32 pessoas (doze lugares reservados para fumantes de charutos). Um cardápio enxuto acompanha os vinhos da casa, que podem ser decantados se for solicitado.

Sugestão de vinho: Peñalolen Sauvignon Blanc 2005, Vina Peñalolen ­ Chile (62 reais)

Onde fica: Alameda Franca, 1225, Jardim Paulista, 3061-3003. 10h/22h (sáb. até 20h; fecha dom.)

Um lounge para o vinho

As vitrines da bela loja da Grand Cru ocupam toda a extensão de sua fachada e permitem observar o ambiente aconchegante, decorado com poltronas e mesas que dão ao local um ar de lounge. Na moderna adega climatizada é possível selecionar direto das prateleiras mesmo os rótulos mais simples e levá-los para casa na temperatura ideal. Especializada em vinhos argentinos, chilenos e franceses de Bordeaux, a importadora ainda promove jantares harmonizados e degustações.

Sugestão de vinho: Doña Paula Estate Sauvignon Blanc 2004, Doña Paula – Argentina (60 reais)

Onde fica: Rua Bela Cintra, 1799, Jardim Paulista, 3062-6388. 9h/20h (sáb. 10h/18h; fecha dom.)

Fonte: VEJA SÃO PAULO