Destinos

Hotéis exclusivos por natureza

Lugares perfeitos para explorar a praia, o gelo e a selva e, depois, dormir em quartos para nobre nenhum botar defeito

Por: Rosane Queiroz - Atualizado em

North Island - Hotéis
North Island: piquenique na praia entra no roteiro (Foto: Divulgação)

ILHAS SEYCHELLES

Nos passos de William e Kate

Destino de alto padrão por excelência, esse arquipélago ganhou ainda mais status após a visita do príncipe William e sua mulher, Kate — ali aconteceu a lua de mel do casal mais fotografado do ano. Vistas de cima, as 115 ilhas do arquipélago parecem pedras preciosas flutuando nas águas turquesa do Oceano Índico. É difícil saber se encantam mais que a fauna e a flora. “As tartarugas marinhas e as folhagens são gigantes”, diz Tomas Perez, presidente da Teresa Perez Tours, operadora que customiza roteiros de luxo. Nas Seychelles, nunca há gente demais. Mesmo nas três principais ilhas, Mahé, Praslin e La Digue, o clima é cool e tranquilo. Especula-se que o casal real tenha se escondido em Desroches, uma sonífera ilha, assim como North Island, onde há apenas o hotel North Island. São onze villas pé na areia de 450 metros quadrados cada uma, com arquitetura de madeira, vidro e pedras locais, piscina e privacidade. O visitante tem ainda a chance de praticar mergulho em um dos maiores atóis de corais do mundo, com cerca de 500 quilômetros de extensão. Vai quase se sentir o herdeiro de um trono.

North Island - Hotéis
North Island: o interior de uma das villas (Foto: Divulgação)

NORTH ISLAND. Diárias a partir de 4.900 reais por pessoa, em apartamento duplo. Incluem refeições e bebidas. tel.: (248) 4 293-100. www.north-island.com.

AMAZÔNIA

No mato sem mosquito (e em alto estilo)

Anavilhanas Jungle Lodge - hotéis
Anavilhanas Jungle Lodge: oito chalés com dois quartos cada um e quatro bangalôs ecocorretos (Foto: Divulgação)

Somos o país que abriga a maior reserva tropical do planeta e, ironicamente, pouco exploramos o turismo selvagem. Em grande parte, devido à pouca infraestrutura hoteleira. Nesse cenário, destaca-se como exceção o Anavilhanas Jungle Lodge, a 180 quilômetros da capital do Amazonas, Manaus. Programão para qualquer pessoa ligada à ecologia e ao meio ambiente, o hotel oferece farta dose de verde, rios, lagos e ilhas — Anavilhanas, no Rio Negro, é o segundo maior arquipélago fluvial do mundo. Os catorze bangalôs, inspirados na arquitetura das ocas indígenas, foram construídos com madeira certificada. Toda a água ali utilizada passa por tratamento antes de ser devolvida ao rio. A preocupação ecocorreta em nada influi no conforto. Nas suítes, de 27 metros quadrados, há camas queen-size e wi-fi . A piscina, com deque de madeira, mimetiza-se à paisagem da floresta grandiosa. E o melhor: o local está livre de insetos. A água do Rio Negro, ao contrário da do Solimões, tem uma acidez que impede a proliferação de mosquitos. Os peixes locais, como tucunaré e tambaqui, ganham um toque gourmet no menu do hotel, em jantares tropicais sob um céu de milhões de estrelas. Quem quiser conhecer os arredores terá a opção de visitar comunidades caboclas e participar de expedições em busca de jacarés ou do gracioso boto-cor-de-rosa.

Anavilhanas Jungle Lodge - hotéis
Anavilhanas Jungle Lodge: cada chalé tem dois quartos (Foto: Divulgação)

ANAVILHANAS JUNGLE LODGE. Pacote de quatro noites a partir de 2.420 reais por pessoa. Inclui traslados, todas as refeições, bebidas e passeios. tel.: (92) 3622-8996. www.anavilhanaslodge.com.

Anavilhanas Jungle Lodge - hotéis
Hotel na Amazônia: piscina com vista para o Rio Negro (Foto: Divulgação)

ÁFRICA DO SUL

Uma noite de Rei Leão

Singita Lodges - hotéis
Singita Lodges: apenas seis suítes (e que suítes!) (Foto: Divulgação)

Até bem pouco tempo atrás, a ideia de dormir em plena savana, cercado por elefantes, girafas e leões, parecia programa arriscadíssimo. Hoje não mais, graças às investidas de países africanos em turismo. Com bastante sucesso, a África do Sul e alguns de seus vizinhos organizaram uma rede hoteleira de alto luxo e baixo impacto ambiental. Em lodges como o Singita, a aventura pela selva, além de segura, pode ser descrita como glamourosa. Localizado no Kruger Park, o Singita possui apenas seis suítes, com vista estupenda para a savana e para o Rio Sweni. Largas camas com mosquiteiro branco, lareira e piscina privativa fazem parte do cenário. O hotel pertence à cadeia Relais & Châteaux, conhecida pelo requinte, e oferece safáris de primeira, dentro das normas de sustentabilidade. “As construções utilizam material natural, a energia é renovável e a água, tratada”, diz Philippe Savoi, diretor da The Marketing Collection, empresa que representa o Singita na América Latina. Outro ponto alto dali é a gastronomia. O menu tem raízes fincadas na culinária do continente, com foco nas carnes locais, em vegetais orgânicos e especiarias típicas, como cúrcuma e pimenta. Para acompanhar os pratos, há uma carta de vinhos apurada, em que os excelentes sul-africanos, com destaque para as uvas pinotage e sauvignon blanc, não apenas harmonizam com o cardápio, mas também fazem o ambiente cumprir o que seu nome sugere: Singita, no idioma local, “lugar de milagres”. 

Singita Lodges - hotéis
Luxo na África: cada suíte do Singita Lodges tem piscina particular de pedra (Foto: Divulgação)

SINGITA LODGES. Diárias a partir de 2.750 reais por pessoa em apartamento duplo. Incluem traslados, todas as refeições, bebidas e passeios. tel.: (27) 21 683-3424. www.singita.com.

CHILE Quanto mais fôlego, melhor

Salto Chico - hotel
Às margens da Queda-d’água Salto Chico, o hotel oferece vista exclusiva (Foto: Divulgação)

Picos nevados, glaciares, lagos e montanhas compõem a paisagem arrebatadora da Patagônia chilena. O Parque Nacional Torres del Paine, a mais de 2.500 metros de altitude, é literalmente o ponto alto do destino. Sua área, de 181.000 hectares, abriga pumas, lhamas e pássaros como o condor. Para acordar e vislumbrar, de camarote, o paredão rochoso Macizo del Paine, o local ideal é o Hotel Salto Chico, da rede Explora, o único dentro do parque. Inaugurado em 1993, passou por uma reforma nos últimos dois meses e tem reabertura prevista para 12 de agosto. “Você sente o hotel em perfeita harmonia com a natureza, sem interferir na paisagem”, relata o engenheiro Flávio Daccache, que no ano passado esteve no Salto Chico com um grupo de amigos. “O lugar proporciona aventura, lá fora, e o conforto essencial do lado de dentro.” São 49 apartamentos, todos com hidromassagem. A proposta do Explora é resgatar as formas orgânicas da paisagem. Hein? Maria Alice Cavalcanti, responsável pela rede no Brasil, explica: “Seu desenho dialoga com a pintura divina que é a Patagônia”. As mudanças recentes incluem upgrade no mobiliário, na área de lazer e no bar, que ganha vista panorâmica, ao lado do piano de cauda. O hotel oferece cinquenta modalidades de exploração do parque, adequadas a diferentes níveis de condicionamento físico do hóspede. Ou seja: quanto mais fôlego, melhor. “Os passeios a cavalo exigem treino, mas são inesquecíveis”, diz o turista Daccache.

Salto Chico - hotel
Patagônia chilena: paisagem arrebatadora com Picos nevados, glaciares, lagos e montanhas (Foto: Divulgação)

HOTEL SALTO CHICO. Pacote de seis noites em apartamento duplo a partir de 6.630 reais. Inclui traslados, todas as refeições à la carte, open bar, equipamentos e passeios. tel.: (56) 2 395-2800. www.explora.com.

Fonte: VEJA SÃO PAULO