CIDADE

Jornalista relata agressão em Mc Donald’s na República

Alessandro Fiocco afirma que não recebeu ajuda de funcionários da lanchonete e pretende entrar com processo. Empresa diz que apura ocorrido

Por: Veja São Paulo

caso mc donalds 5
Homem disse ter sido agredido por moradora de rua dentro de McDonald's na República (Foto: Reprodução / Facebook )

O jornalista Alessandro Fiocco, de 41 anos, afirma ter sido agredido por uma moradora de rua em uma lanchonete do Mc Donald's na República, região central de São Paulo, na madrugada de quarta (10). Em postagem publicada em sua página no Facebook, Fiocco diz que não recebeu apoio dos funcionários e que o gerente da loja recusou-se a fornecer o telefone de contato da ouvidoria da empresa. Nesta quinta (11), ele registrou um boletim de ocorrência. Ele pretende entrar com uma ação contra o estabelecimento. 

+ Mesmo sem reagir, rapaz é morto por assaltantes na Zona Sul

Segundo o relato de Fiocco, ele entrou na lanchonete por volta das 4h40 da manhã, sozinho, na última quarta (10). Enquanto fazia o pedido, foi abordado por uma moradora de rua, que pediu que ele pagasse um lanche a ela. "Eu não entendi muito bem o que ela falou, mas a atendente da loja explicou que aquela mulher sempre pedia um Mc Fish." 

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

“Nenhum segurança impediu a abordagem”, disse Fiocco à reportagem de VEJA SÃO PAULO. Após negar o pedido, ele conta ter sido agarrado pelo pescoço e derrubado no chão. “Tudo aconteceu muito rápido”, afirma. Ele teria gritado por ajuda e para alguém tirá-la de perto dele. “Pensei ‘não posso agredi-la, é uma mulher’.

Fiocco conta, porém, que, ao receber socos no rosto, revidou. O segurança então apareceu ao seu lado e o atingiu com gás de pimenta, fazendo com que a mulher o soltasse e saísse da loja. "Até a pessoa tralhava no caixa foi atingida com o spray." 

+ Confira as últimas notícias

Logo em seguida, o gerente teria aparecido e chamado a polícia. “Ele [gerente] se mostrou totalmente insignificante. Solicitei um contato da ouvidoria e ele se recusou a dar. Disse ainda que eu poderia escrever o relato em um livro preto, que estava em branco e não havia nenhuma reclamação." 

A postagem de Fiocco teve mais de 100 comentários com mensagens de apoio e revolta. Ele afirma que foi ao Instituto Médico-Legal para fazer corpo de delito e registrou um boletim de ocorrência no 3° Distrito Policial de Campos Elíseos nesta quinta (11). Ele pretende processar o Mc Donald’s. 

Em nota, o Mc Donald's afirmou que se preocupa com a segurança e com o bem-estar de seus consumidores e funcionários e que está apurando o ocorrido internamente.

Fonte: VEJA SÃO PAULO