Teatro

'Hoje Tem Mazzaropi' traz o astro da década de 50 de volta aos palcos

Philaderpho é o personagem principal da comédia que está em cartaz no palco do Teatro União Cultural

Por: Dirceu Alves Jr. - Atualizado em

Hoje Tem Mazzaropi_2169
Maria Carolina Dressler, Beto Galdino, Iara Jamra, Júlio Lima, Silvia Poggetti e Dani Mustafci: turma do barulho (Foto: Thiago Russi)

Ator, diretor e produtor, Amácio Mazzaropi (1912-1981) arrastava milhões de espectadores aos cinemas entre as décadas de 50 e 70 na pele de um caricato caipira. Foi esse bem-sucedido ícone da cultura popular que levou o ator Júlio Lima a criar em 2001 o personagem Philaderpho, outro típico homem da roça, e originou a comédia Hoje Tem Mazzaropi, em cartaz no Teatro União Cultural. Escrita por Mário Viana e dirigida por Hugo Coelho, a peça traz uma bem-humorada trama sobre como seria se Philaderpho resolvesse tirar proveito do fato de ser primo do reconhecido artista.

Já que família é quase sempre tudo igual, a de Philaderpho não foge à regra. Tem a filha de caráter duvidoso que sonha com o estrelato (a atriz Dani Mustafci), uma outra batalhadora (papel de Maria Carolina Dressler) — mas preterida pelos pais —, a mãe deslumbrada (Iara Jamra) e o pai, o tal Philaderpho, feito de gato-sapato por essa mulherada. De posse dos divertidos estereótipos, o dramaturgo envolve o quarteto em confusões quando a filha foge para se tornar atriz em São Paulo. Decididos a trazê-la

de volta, todos se unem em uma atrapalhada jornada, topando pelo caminho com outros personagens, vividos pelos atores Beto Galdino e Silvia Poggetti. Em busca de uma comicidade semelhante à de Mazzaropi, de cair no gosto das famílias, Viana investe no otimismo ao ressaltar que nada pode abalar a alma boa dos caipiras.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO