Construção histórica

A história da Chácara Lane, que abriga o atual Gabinete do Desenho

Propriedade do final do século XIX já foi consultório médico, escola infantil e biblioteca, além de ter sido palco de um acidente aéreo

Por: Livia Deodato - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

O casarão que atualmente abriga o Gabinete do Desenho guarda muitas histórias desde a época de sua construção, no final do século XIX. Conhecida como Chácara Lane, a propriedade localizada na Rua da Consolação, 1024, pertenceu inicialmente ao missionário presbiteriano americano George Chamberlain e sua mulher, Mary Annesley. Juntos, eles fundaram uma pequena escola em 1870 que viria a ser conhecida mais tarde como Escola Americana. O aumento do número de alunos levou Chamberlain a transferi-la da sala de sua casa a um outro imóvel no bairro de Higienópolis.

+ Um mix de arte, festa, gastronomia e beleza

Em 1906, quatro anos após a morte de Chamberlain, a viúva resolveu vender o imóvel de 16 mil metros quadrados ao Dr. Lauriston Job Lane, filho de Horácio Lane, então diretor da Escola Americana (e que dá nome a uma rua na Vila Madalena, onde se localiza a casa de samba Ó do Borogodó). Também nascido nos Estados Unidos, Job Lane havia se formado em medicina pela Universidade da Pensilvânia e passou a exercer o ofício em um consultório no casarão e também no Hospital Samaritano, em Higienópolis, que ajudou a fundar.

Casou-se com Helen Maxwell e teve três filhos: Job Lane Júnior, Horace Manley lane e Elisabeth Lane. A filha de Job Lane Júnior, Helen Lane Coachman, hoje com 79 anos, guarda uma inusitada lembrança da época em que viveu na chácara. “Me lembro de quando um avião, desses paulistinhas [de pequeno porte, monomotor], caiu em nosso quintal”, relembra Helen por telefone à VEJASÃOPAULO.COM. “Era pilotado pelo Pedroso, professor de acrobacias aéreas e com quem mais tarde fui ter aulas.”

Helen deixou o casarão ainda muito pequena, quando tinha cerca de seis anos, e lembra muito mais do quintal do que do interior do casarão. “Havia palmeiras enormes, que não existem mais.” Atual moradora do Alto da Boa Vista, a neta do Dr. Job Lane esteve pela última vez na Chácara Lane no ano retrasado e pretende em breve conhecer o atual espaço expositivo, que abrigará mostras temporárias, além do acervo de papel da Coleção de Arte da Cidade.

O casarão foi declarado propriedade de utilidade pública pela Prefeitura em 1943, um ano após a morte de Dr. Job Lane. Desde então, ele foi utilizado para diversos fins: foi escola de educação infantil (embrião da atual Escola Municipal de Educação Infantil Gabriel Prestes), funcionou em regime de comodato por um tempo pelo Mackenzie, serviu para acervo do Arquivo Histórico Municipal (atual Arquivo Histórico de São Paulo) e abrigou a Biblioteca Circulante da Secretaria Municipal de Cultura (que depois foi transferida para a Biblioteca Mário de Andrade, em 2008).

Tombada pelo Conpresp, a Chácara Lane passou por obras de restauração entre 2008 e 2012 para agora servir como um dos mais novos espaços museológicos públicos, sob atual organização de Agnaldo Farias.

Fonte: VEJA SÃO PAULO