Exposições

Hildegard Rosenthal e Horacio Coppola têm fotos expostas

Mostra traça paralelos entre São Paulo e Buenos Aires na primeira metade do século passado

Por: Jonas Lopes - Atualizado em

exposicoes 2155 1
A paulistana 15 de Novembro nos anos 40: flagrantes históricos (Foto: Hildegard Rosenthal)

Apesar da célebre rivalidade, muitos aspectos aproximam Brasil e Argentina. Um deles é explorado na primorosa mostra Profissão Fotógrafo, em cartaz no Museu Lasar Segall. Composta de 45 imagens em preto e branco, a montagem recorre à produção de Hildegard Rosenthal (1913-1990), suíça radicada em São Paulo durante grande parte da vida, e do argentino Horacio Coppola, hoje com 103 anos. Os registros traçam comparações entre a capital paulista e Buenos Aires na virada da década de 30 para a de 40 do século passado, e as semelhanças entre elas chamam atenção. Ambas as cidades surgem como metrópoles em expansão, abertas ao progresso industrial, à arquitetura modernista e ao burburinho das multidões.

Após estudar na França e na Alemanha, Hildegard chegou com sua Leica ao Brasil em 1937, acompanhando o noivo judeu que fugia dos nazistas. Tornou-se uma pioneira de nosso fotojornalismo, graças ao olhar apurado para o dia a dia de tipos paulistanos — operários, moças passeando, vendedores, torcedores de futebol. Coppola começou a fotografar em 1927. Cinco anos depois, foi estudar na famosa escola alemã Bauhaus, na qual permaneceu até o fechamento da instituição pelos nazistas, em 1935. Daí sua preferência por ressaltar as formas geométricas e funcionais de edifícios, vitrines e outdoors de endereços portenhos como a Plaza de Mayo, a Calle San Martín e o bairro da Boca. Ainda assim, também se dedicou aos personagens, da mesma forma que Hildegard nunca negligenciou a arquitetura (cenários do nosso centro, a exemplo da Praça da Sé e do Edifício Martinelli, aparecem em suas fotos). O grande acerto da exposição foi conseguir combinar as principais qualidades dos dois.

Fonte: VEJA SÃO PAULO