História

Os heróis da resistência da Mooca

Estabelecimentos comerciais com mais de setenta anos de atividade ininterrupta são patrimônio do bairro

Por: Jéssika Torrezan

Di Cunto Mooca 2220a
A padaria Di Cunto: aberta em 1896 pelos irmãos italianos Donato e José (Foto: Veja São Paulo)

Di Cunto

A confeitaria e rotisseria está instalada no mesmo local, na Rua Borges de Figueiredo, desde 1935. Mas sua história remonta a 1896, com uma padaria modesta aberta pelos irmãos italianos Donato e José. Durou até 1914, quando os donos voltaram para a Itália. Duas décadas depois, os filhos de Donato retomaram o negócio no Brasil — e ele segue com os netos até hoje. O local tem mais de 1.000 produtos de fabricação própria. Um deles é o panetone, produzido durante todo o ano desde 1937.

Foto América

Foto América 2220a
O fotógrafo Felício de Souza começou a trabalhar no local em 1950, aos 12 anos: comprou o negócio aos 22 (Foto: Veja São Paulo)

A loja abriu no número 2460 da Rua da Mooca em 1941. Desde então, passou por outros dois endereços na mesma via antes do atual, no número 2318. O fotógrafo Felício de Souza, de 73 anos, começou a trabalhar no local em 1950, aos 12 anos, adquirindo a empresa aos 22. Nestas seis décadas, acompanhou a evolução do processo fotográfico, das imagens gravadas na chapa de vidro à era digital. “Antigamente tudo acontecia no estúdio, hoje as pessoas fazem as fotos em casa e enviam”, diz Souza, que atende 3.000 clientes por mês. “Há três gerações registramos a Mooca.”

 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO