Cidade

Haddad promete entregar novo hospital antes das eleições

Unidade de Parelheiros, na Zona Sul, ficará pronta em setembro, segundo o prefeito

Por: Veja São Paulo (com Estadão Conteúdo) - Atualizado em

Fernando Haddad
Fernando Haddad (PT): unidade terá 255 leitos (Foto: Valter Campanato/ABR))

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), afirmou que o Hospital de Parelheiros, na Zona Sul da capital, será entregue até setembro deste ano. As obras tiveram início em fevereiro de 2015.

"A previsão da construtora é entregar entre julho e setembro. A data mais provável é agosto", disse. Com 255 leitos, trinta de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), a futura unidade é uma reivindicação antiga dos moradores de Parelheiros, área de difícil acesso e com poucas opções de transporte no extremo sul da cidade. 

+ Confira as últimas notícias da cidade

A obra, portanto, deve sair antes das eleições municipais, em outubro. Haddad vai concorrer novamente ao cargo, em uma disputa acirrada com Marta Suplicy, sua antiga aliada e ex-colega de partido, agora no PMDB. 

O anúncio foi feito na sexta (12) em agenda conjunta do prefeito com o governador Geraldo Alckmin (PSDB), durante entrega das obras de recuperação das estradas rurais Ponte Alta e Bela Vista, em Parelheiros, que facilitarão o acesso às rotas turísticas da região.

+ Ibirapuera será reformado com projeto de Paulo Mendes da Rocha

"Essas providências vão ser tomadas já porque nós queremos em 2016 o hospital funcionando. Entregue, a parte civil, é 100% de certeza. Equipamentos e pessoal (funcionários) estão sendo tomadas as providências", explicou.

Haddad disse que incumbiu o secretário municipal da saúde, Alexandre Padilha, de fazer a aquisição de equipamentos e chamamento para o gestor do hospital. A unidade de Parelheiros está no Programa de Metas do prefeito.

Em dezembro, o petista entregou o Hospital Vila Santa Catarina, também na Zona Sul, que tem convênio com o Albert Einstein. Um terceiro será construído por Haddad na Brasilândia, Zona Norte. 

A expectativa da prefeitura é de que mais de 200 mil pessoas sejam beneficiadas com a unidade, que terá pronto-socorro, maternidade e centro de especialidades. Ao todo, serão 31 mil m² entre as Ruas Euzébio Goghi e Cacual, ao custo de R$ 145,6 milhões, pagos pela Caixa Econômica Federal.

+ Liberdade celebra Ano Novo Chinês; veja programação

Fonte: VEJA SÃO PAULO