serviço

Um guia de sobrevivência com dicas sobre como enfrentar o calor

Uma lista com os ambientes gelados, as piscinas refrescantes, os aparelhos indispensáveis e as dicas de saúde para ajudar a enfrentar o mês de calor recorde

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Capa Calor
Termômetro na Avenida Paulista, na segunda (19): pico de calor no ano (Foto: J.Duran Machefe/Estadão Conteúdo)

Com temperatura média de 31,9 graus, o mês de janeiro de 2014 foi apontado com o o mais quente da história na capital pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Mas esse recorde pode ser quebrado em 2015. Do dia 1º até terça (20), a média das máximas registradas por aqui foi de 33,2 graus.

+ Venda de ar-condicionado é recorde neste verão

Ar-condicionado Split Midea Piso-Teto
Ar-condicionado Split Midea Piso-Teto: mês bateu recorde de venda (Foto: Divulgação)

A sensação geral de que nossos verões nunca estiveram tão quentes encontra respaldo entre os especialistas. A primeira explicação é comum a qualquer metrópole: urbanização, poluição e desmatamento tornam as cidades mais abafadas a longo prazo. “Esses fatores formaram ilhas de calor, que aumentaram a temperatura de São Paulo em 3 graus nos últimos 100 anos”, afirma o climatologista Carlos Nobre, secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Ciência e Tecnologia.

+ Fuja do calor caindo nas piscinas dos hotéis

piscina-Tivoli
Piscina laranja do Tivoli-Mofarrej: pacote de day use disponível (Foto: Divulgação)

A segunda razão é eventual: assim como na temporada passada, um bloqueio atmosférico impediu a formação de nebulosidade na região, deixando o paulistano mais exposto. “As nuvens funcionam como um guarda-sol natural”, explica Ricardo Augusto Felicio, professor de climatologia da USP.

+ Médicos tiram dúvidas sobre os principais riscos dos períodos de calor

+ As dicas para manter a elegância acima dos 35 graus

Na quarta passada (21), uma frente fria amenizou um pouco a situação na cidade, mas tudo indica que os termômetros vão voltar a subir nos próximos dias, ficando várias vezes na faixa dos 30 graus.

+ Comes e bebes para se refrescar no calor

BrewDog Bar
Cervejaria BrewDog, em Pinheiros: bons chopes (Foto: Lucas Terribili)

Para enfrentar o calor infernal, confira ao longo da reportagem um guia especial com uma lista dos lugares mais refrescantes da capital, as melhores piscinas de hotéis com day use, as novidades em equipamentos domésticos e os conselhos de especialistas a fim de evitar problemas na estação, entre outras dicas.

(Com reportagem de Adriana Farias, Alessandra Freitas, Ana Carolina Soares, Felipe Neves, Gabriela Bocaccio, Juliene Moretti, Nataly Costa e Saulo Yassuda)

  • Quer saber para onde correr quando o clima esquenta? A seguir, listamos seis opções de estabelecimentos que viram oásis em dias tórridos
    Saiba mais
  • Sopa fria, sorvete e chope estão na lista de receitas frescas na medida que servem de antídoto contra as altas temperaturas
    Saiba mais
  • No esquema day use, é possível usar as instalações dos hotéis em pacotes a partir de 85 reais
    Saiba mais
  • Comportamento

    Venda de ar-condicionado é recorde neste verão

    Atualizado em: 23.Jan.2015

    Os consumidores correm às lojas para comprar modelos portáteis, climatizadores e outros equipamentos modernos
    Saiba mais
  • Sol radiante e temperatura elevada favorecem atividades externas e mudam hábitos, mas também acarretam perigos
    Saiba mais
  • A forma correta de se vestir no trabalho, a briga pelo nível do ar-condicionado e as guloseimas para servir às visitas
    Saiba mais
  • VEJA SÃO PAULO recomenda

    Atualizado em: 9.Out.2015

    Restaurante, espetáculo, exposição, doceria e outras atrações em cartaz
    Saiba mais
  • Suplemento alimentar que ajuda no ganho de massa muscular tem sido cada vez mais usado em receitas de quitutes 
    Saiba mais
  • Criado em 2013, Bliive conta com mais de 13 000 usuários cadastrados
    Saiba mais
  • Sites ajudam a encontrar domésticas

    Atualizado em: 23.Jan.2015

    Plataformas on-line têm substituído o boca a boca nas indicações dos profissionais
    Saiba mais
  • Artistas vão se apresentar no camarote da Brahma enquanto escolas de samba estiverem desfilando do Anhembi
    Saiba mais
  • Cada exemplar pode ser adquirido por 79,90 reais
    Saiba mais
  • A música foi composta por Adoniran Barbosa
    Saiba mais
  • Terraço Paulistano

    Confira as novidades da semana do Terraço Paulistano

    Atualizado em: 2.Out.2015

    Notas exclusivas sobre artistas, políticos, atletas, modelos e empresários que são destaque na cidade
    Saiba mais
  • Comportamento / Esportes

    Festa de aniversário de São Paulo tem mais de cinquenta shows gratuitos

    Atualizado em: 23.Jan.2015

    Confira o melhor da programação oficial e dos eventos paralelos que agitam a capital
    Saiba mais
  • Administração

    Eletropaulo pode ser penalizada pelas falhas no atendimento

    Atualizado em: 23.Jan.2015

    Problemas estão sendo investigados pelas autoridades. Companhia pode receber novas penalizações pelos apagões recentes
    Saiba mais
  • Variados / Variados

    Folia dos blocos de rua começa no dia 31

    Atualizado em: 23.Jan.2015

    Em um ano com número recorde de blocos na capital, o destaque são grupos dedicados ao repertório de grandes nomes da música
    Saiba mais
  • Boas Compras: Praia

    Atualizado em: 23.Jan.2015

  • Cozinha variada

    A Figueira Rubaiyat

    Rua Haddock Lobo, 1738, Jardim Paulista

    Tel: (11) 3087 1399

    VejaSP
    12 avaliações

    Restaurante-cartão-postal, atrai clientes e mais clientes que querem se sentar sob a sombra de uma gigantesca e centenária fgueira no salão da entrada. No cardápio estão receitas executadas pelo chef potiguar Francisco Gameleira. Logo que se consegue um lugar, chega à mesa o farto couvert (R$ 29,00), que inclui um dos melhores pães de queijo da cidade, além de itens variáveis como salmão ao vinagrete e franguinho morno com cebola assada. Do forno, sai o robalo na companhia de batata ao murro e aspargo (R$ 134,00). Nesta casa, também se provam boas carnes na grelha, entre elas o baby beef marmorizado com fritas sufê (R$ 141,00).

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Cozinha variada

    Obá

    Rua Doutor Melo Alves, 205, Jardim Paulista

    Tel: (11) 3086 4774

    VejaSP
    14 avaliações

    Colorido, o restaurante do mexicano Hugo Delgado lembra uma residência. Enquanto beberica uma margarita (R$ 23,00), passe os olhos pelo cardápio, que inclui sugestões de México, Tailândia, Itália e Brasil. Pedida da terra natal do proprietário, as puntas de flete al chipotle (R$ 65,00) são tiras de filé-mignon em molho picante de tomate e pimenta chipotle com arroz, pasta de feijão-preto e tortilhas de milho.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Italianos

    Sottovento

    Avenida Magalhães de Castro, 12000, Butantã

    14 avaliações
  • Bar-balada

    Charles Edward

    Rua Miriti, s/n, Itaim Bibi

    Tel: (11) 3078 5022 ou (11) 3079 2804

    VejaSP
    4 avaliações

    Enquanto cinquentões com a vida resolvida esvaziam garrafas de uísque, mulheres bem- -vestidas dançam como se não houvesse amanhã. Nesta casa do Itaim é assim há vinte anos, e quem não está acompanhado costuma aparecer por ali a fm de encontrar alguém para chamar de seu. A música ao vivo, geralmente fashback e pop rock, é só um pretexto. Além de destilados, raramente os pedidos incluem algo que não seja chope (Brahma, R$ 10,40) ou cerveja long neck (Budweiser, R$ 11,00). Quem consegue uma das poucas mesas também aproveita para petiscar. A bruschetta pode conter, além de tomate, queijo camembert ou mussarela de búfala (R$ 21,40).

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Lugares onde beber sangria

    Atualizado em: 23.Jan.2015

    Confira uma lista com locais para tomar sangria e espantar o calor
    Saiba mais
  • Bares variados

    Paribar

    Praça Dom José Gaspar, 42, centro

    Tel: (11) 3159 0219

    VejaSP
    4 avaliações

    Conquista pela localização, bem de frente para a Praça Dom José Gaspar. Dica: os melhores lugares ficam na varanda, voltada para a área arborizada. O bar foi ponto de encontro de intelectuais nos anos 50 e acabou fechando na década de 80. Nesta nova encarnação, o público é mais eclético e inclui tipos descolados que circulam pelo centro. O cardápio está cada vez mais enxuto e nem sempre tudo sai da cozinha no ponto, mas dá para pedir os triviais pastéis de carne e queijo para petiscar (R$ 25,40) junto da cerveja em garrafa (Serramalte, R$ 12,50).

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Sanduíches

    Tigre Cego

    Rua Girassol, 654, Vila Madalena

    Tel: (11) 3586 8370

    VejaSP
    3 avaliações

    Responsável pelos sanduíches — e também pela ótima porção mista de batatas inglesa e doce e mandioquinha fritas (R$ 22,00) —, Pablo Muniz reformulou o cardápio. Entre as estreias estão quatro opções de hambúrguer, três delas com um belo disco de carne de 180 gramas e a última, vegetariana. Outra novidade, o bul go gui (R$ 30,00), que no passado vinha numa massa de arroz, é apresentado na forma de três pequenos tacos de milho: dentro de cada um deles vem fraldinha marinada no óleo de gergelim com gengibre, shoyu e alho. Um mix de pimenta dedo-de-moça, cebolinha, picles de moyashi e maionese de conserva picante de acelga completa a sugestão.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Conhecida pelos acertos O Sonho de Jerônimo e A Linha Mágica, A Fabulosa Companhia estreia agora a peça Bicho Bichinho Bichão. Simples e encantadora, a montagem utiliza bonecos feitos de papelão para representar a história de uma cabra e seus quatro filhotes que procuram uma casa para morar na floresta. Com a ajuda da histérica arara, do fofoqueiro tatu-bola e do medroso besouro, a família enfrenta a ameaça de um lobo-guará faminto e outras dificuldades. Mas os amigos encontram soluções inusitadas para todos os problemas — utilizar uma teia de aranha como sapatos para disfarçar as garras do lobo foi uma delas. Em boa sintonia, o trio de atores Erika Moura, Eugênio La Salvia e Flávio Rodrigues se reveza entre a interpretação dos personagens e algumas canções. A bem-humorada dramaturgia assinada por Simone Grande (também diretora) e Daniela Schitini foi inspirada em dois contos: O Lobo e  os Sete Cabritinhos, dos irmãos Grimm, e O Porco-do-Mato e a Formiguinha, história africana adaptada por Ricardo Azevedo. Chamam atenção ainda os inventivos figurinos criados pelos estilistas Isabela Teles e Edson Braga, que usam alguns utensílios de cozinha, como peneiras e bicos de mamadeira. Estreou em 11/1/2015. Até 22/2/2015.
    Saiba mais
  • Bares variados

    Heineken Up On The Roof

    Avenida Prestes Maia, 241, Centro

    6 avaliações
  • Estão expostos trabalhos dos seis artistas premiados, entre eles o carioca J.R. Ripper, que apresenta trinta imagens feitas em regiões pobres do país. Um olhar afetuoso predomina nas obras, cujo maior mérito é não estetizar a miséria. Ripper é o único contemplado que trabalha com fotografa pura. Os demais itens, como a pesquisa que o pernambucano Gilvan Barreto fez da história do pai, o primeiro prefeito comunista do Brasil, mesclam técnicas variadas. A paulistana Sonia Guggisberg, por exemplo, usou o vídeo para acompanhar a demolição da casa de sua família. Até 31/3/2015.
    Saiba mais
  • A mostra coletiva De Dentro para Fora apresenta trabalhos em diferentes suportes de cinco artistas representados pela galeria. Como eles atuam tradicionalmente nas ruas, o pequeno espaço expositivo acaba estrangulando peças maiores, a exemplo da tela de Daniel Melim. O ponto positivo são as obras expostas do lado de fora, como o desenho no asfalto do argentino Tec ou a colorida fachada pintada por Sliks. Estacionado em frente ao local, o carro cheio de plantas do coletivo BijaRi reflete sobre o uso do automóvel e os espaços públicos na cidade. Uma versão similar foi exibida na Áustria e na Bienal de Arquitetura de 2010. Até 7/3/2015.
    Saiba mais
  • Tragicomédia

    As Criadas
    VejaSP
    5 avaliações
    De 1987 a 2001, o Grupo Tapa, comandado pelo diretor Eduardo Tolentino de Araújo, levou ao Teatro Aliança Francesa, na Vila Buarque, montagens que estabeleceram um padrão de rigor e refinamento nos palcos paulistanos. Com As Criadas, peça escrita pelo francês Jean Genet em 1947, o encenador volta à antiga sede amparado por três atrizes fundamentais na consagração do grupo, Clara Carvalho, Denise Weinberg e Emilia Rey. O resultado inegavelmente encanta pelo saudosismo, mas prova que nenhum clássico — seja um texto, seja uma companhia teatral longeva — se firma como tal à toa. Nas mãos de Tolentino, o espetáculo transita pelo drama e pela tragicomédia para tratar de uma incômoda relação entre opressor e oprimido. As irmãs Clara e Solange (interpretadas por Clara e Denise) são empregadas de uma mansão. Em relação a Madame (papel de Emilia), elas só alimentam raiva e têm como passatempo vestir as roupas e as joias da patroa para, como duas meninas, promover uma inversão de papéis lúdica e perversa. Em um duelo vigoroso, Clara e Denise alternam ira, fragilidade, rancor e agressividade em minutos, muitas vezes gerando desconforto no público. A ironia cabe a Emilia, que, por cerca de quinze minutos, tem participação marcante na pele de Madame. Reforçado pelo tom grave de Denise, o denso final traz um impactante discurso social e mostra que o Tapa, quando reúne bons nomes para atuar em uma obra consistente, dignifica sua marca. Estreou em 16/1/2015. Até 23/8/2015.  
    Saiba mais
  • Baseado no livro do rabino Nilton Bonder, o monólogo A Alma Imoral estreou em julho de 2006 no Rio de Janeiro em uma sala onde mal cabiam cinquenta pessoas. O interesse imediato e crescente surpreendeu a própria atriz e adaptadora Clarice Niskier. Pronta para conquistar novos fãs, Clarice volta para uma temporada no Teatro Eva Herz. O sucesso pode ser justificado pela identificação imediata do público com as palavras. Em um roteiro quase informal, a intérprete fala a respeito da sua primeira e arrebatadora impressão ao ler a obra de Bonder e divide questionamentos com a plateia. Inspirada em conceitos bíblicos e filosóficos, ela reflete sobre o certo e o errado, o moral e o imoral ou a necessidade de trair para romper limites e estabelece uma conversa franca e provocativa. Clarice aparece nua em boa parte da montagem e transforma um tecido preto em figurinos. Guiada pela sutil supervisão do diretor Amir Haddad, seduz cada espectador como se fosse o único. Estreou em 14/3/2008. Até 11/12/2016.
    Saiba mais
  • Monólogo dramático

    A Lista
    VejaSP
    4 avaliações
    Ainda cultivando o sucesso de A Alma Imoral, a atriz Clarice Niskier se impôs mais um desafio. No monólogo dramático da canadense Jennifer Tremblay, a intérprete dá vida a uma mulher dominada pelas tantas atribuições do dia a dia. Perfeccionista, ela anota cada obrigação a cumprir, dos serviços domésticos aos favores devidos aos amigos próximos. A morte de uma vizinha a faz atravessar um turbilhão emocional e, inclusive, questionar a validade de sua agenda. A estrutura da montagem é muito próxima à de A Alma Imoral, e Clarice injeta uma naturalidade tão grande na personagem que, muitas vezes, parece promover um bate-papo. Apoiada na simplicidade, a atriz acerta nessa nova tentativa de comunicação com o público e põe o dedo em questões bastante profundas. Dessa forma, muitos espectadores são gradativamente conduzidos às lágrimas. Estreou em 14/11/2014. Até 13/12/2015.
    Saiba mais
  • Premiado no Festival Fringe de Edimburgo, na Escócia, o espetáculo Leo, do grupo alemão Circle of Eleven, chega à cidade. Sob a direção do canadense Daniel Brière, o ator e mímico alemão Julian Schulz interpreta um homem em uma viagem por um mundo desequilibrado. Apoiado no trabalho corporal, o protagonista desafia a lei da gravidade, interage com o cenário e faz desenhos com giz para ajudar a contar sua história. Os gestos são capturados por uma câmera que projeta imagens no telão. De 27/1 a 1º/2/2015.
    Saiba mais
  • Apoiado em vozes potentes e na fértil imaginação do público, o rádio brasileiro conheceu o apogeu entre os anos 1940 e 1950. Com a consolidação da televisão, a imagem passou a ser a prioridade em detrimento do som e, na década seguinte, as radionovelas não resistiram às tramas eletrônicas. Foi essa fase que inspirou o autor e diretor Otávio Martins a traçar um retrato artístico, comportamental e político da época. A comédia é ambientada em 1968, nos bastidores de uma emissora prestes a transmitir o capítulo final de um folhetim. O produtor Vicente (papel de Marcos Damigo) mantém um caso com a atriz Conceição (personagem de Natallia Rodrigues) e dribla as orientações do publicitário Vespúcio (Elam Lima). Mais antigos na rádio, o galã Péricles (Eduardo Semerjian) e a cantora Leonor (Camilla Camargo) enfrentam a decadência profissional, enquanto a tensão se instaura diante do desaparecimento de um dos atores. Com inteligência e sensibilidade, a montagem transita por situações dramáticas e trágicas, muitas vezes sem a plateia se dar conta. Com Oscar Filho, Nany People e Ivo Müller. Estreou em 16/8/2014. Dias 2, 3 e 4/12/2016.
    Saiba mais
  • Popular na televisão, Ary Fontoura coleciona trabalhos leves e divertidos no teatro. Como protagonista de O Comediante, texto de Joseph Meyer, ele vence o desafio de interpretar um astro esquecido pela mídia e em constante conflito entre a ficção e a realidade. Na tentativa de sair do ostracismo, o experiente ator Walter Delon relembra sua história a uma jornalista (papel de Carol Loback), enquanto vive às turras com a misteriosa governanta (Angela Rebello) e o empresário (Gustavo Arthiddoro). A comédia tem uma estrutura frágil e pouco convincente, principalmente ao injetar suspense, mas o talento e a cancha de Fontoura lhe permitem um show à parte, levando a plateia a dar genuínas risadas. Angela alcança bons momentos. Carol e Arthiddoro, no entanto, não seguram os personagens e comprometem a unidade. Direção de José Wilker, que morreu na fase final dos ensaios, e Anderson Cunha. Estreou em 16/1/2015. Até 15/3/2015.
    Saiba mais
  • Paula Cohen é uma intérprete de personalidade. Surpreende — e revela sua maturidade — que só agora, com dezoito anos de carreira, ela tenha encarado um solo. Criado com o diretor Pedro Granato, o monólogo cômico traz uma mulher à beira dos 40, colecionadora de micos amorosos. Elvira volta ao Brasil depois de ter o coração despedaçado por um argentino e, mais uma vez, baixa a crista diante da mãe, conta os tostões para o aluguel e sobrevive ao crivo das amigas. Como é atriz, a personagem monta um espetáculo para entender as sucessivas desilusões sentimentais. Granato criou uma ambientação kitsch, remissiva aos filmes de Pedro Almodóvar, e, apoiada na sinceridade, Paula promove uma acertada e divertida autocrítica sobre sua geração. Estreou em 4/10/2014. Até 24/4/2016.
    Saiba mais
  • O Carnaval de 2015 promete pegar fogo na cidade. Neste ano, serão cerca de 300 blocos que começam a sair às ruas antes mesmo do feriado oficial. Mais de sessenta deles se concentram na Vila Madalena. Alguns mais concorridos e tradicionais já estão com data, hora e local definidos para ocupar o bairro. É o caso do Casa Comigo e do Chega Mais. Cada um possui uma proposta: o primeiro costuma reunir mulheres de véu, grinalda e buquê em busca de pretendentes. Marchinhas e músicas românticas em ritmo de samba compõem o repertório que favorece a paquera. Para aqueles que não estão atrás de novos romances e ainda querem muita diversão, o mais indicado é o Chega Mais. Criado em 2014 por um grupo de amigos, o cordão tem uma bateria formada por trinta ritmistas que tocam composições dos anos 80. Para entrar na brincadeira, os participantes criam inventivas fantasias. Paquitas, Fred die Mercury, He-Man, Falcon e outros ícones da década marcam presença na animada folia de rua.  Dia 1/2/2015.
    Saiba mais
  • Hoje com 28 anos, a afinada intérprete espanhola Sara Pi começou cedo na música. Neta de um cantor de ópera e filha de um tresero (instrumentista especializado no tres, violão comum em Cuba), aos 13 anos ela atraía a atenção ao apresentar standards do jazz no JazzSí Club del Taller de Musics em Barcelona, sua cidade natal. Sara cresceu ouvindo D’Angelo, Lauryn Hill e Erykah Badu, ícones do neo-soul, mas também os brasileiros Djavan e Gilberto Gil. Foi, aliás, do Brasil que veio o principal parceiro musical, o produtor e compositor Érico Moreira, que a convenceu a tornar o hobby uma carreira. A união rendeu dois trabalhos: Burning (2011), que ela interpretou no Bourbon Street no mesmo ano, e Wake Up (2013), versão mais sofisticada do disco anterior que ela exibe pela primeira vez na cidade. Quem a acompanha por faixas suaves em inglês e português, como Wake Up e Neguinho, é o próprio Moreira (guitarra e voz), além de Marcos Xuxa Levy (flauta e teclado), Jota Erre (bateria), Abel Boquera (teclado) e Debora Reis e Paula Santisteban (backing vocals). A cantora Luciana Mello participa da apresentação. Dia 27/2/2015.
    Saiba mais
  • Com uma pegada de denúncia, o diretor Abderrahmane Sissako, da Mauritânia, escancara os absurdos desmandos dos extremistas muçulmanos num pobre vilarejo do Mali chamado Timbuktu, nome deste drama vencedor de sete prêmios no César 2015 (o Oscar francês), incluindo o de melhor filme. O personagem central é Kidane (Ibrahim Ahmed), um tuaregue que vive com a mulher e a filha pequena numa tenda do deserto, a alguns quilômetros de Timbuktu. Quando um vizinho mata uma vaca de Kidane, este revida sem violência, mas a briga termina em morte. Mesmo sem ter culpa, o protagonista segue os desígnios de Alá e vai a julgamento. Em registro de flerte com o documentário, o longa-metragem abre espaço para a poesia, representada numa tocante sequência em que meninos jogam futebol sem bola porque o esporte também está fora da lei. Estreou em 22/1/2015.
    Saiba mais
  • Paul Henreid, Ingrid Bergman e Humphrey Bogart formam um triângulo amoroso no lendário Casablanca (1942), primeira reprise da quinta temporada de clássicos da rede Cinemark. O filme ganha três sessões no Center Norte, Central Plaza, Cidade Jardim, Eldorado, Granja Viana, Iguatemi, Market Place, Metrô Boulevard Tatuapé, Metrô Santa Cruz, Pátio Higienópolis, Pátio Paulista, Tamboré e Villa-Lobos, neste sábado (24/1), no domingo (25/1) e na quarta (28/1). Os horários variam conforme o complexo. No Cidade Jardim, as projeções ocorrem à 0h do sábado, às 11h40 do domingo e às 19h30 da quarta. Para os demais cinemas, consulte nossa página em vejasaopaulo.com/cinema.
    Saiba mais
  • Se os dois primeiros longas-metragens da cinessérie pecavam por excesso de violência e trama previsível, Busca Implacável 3 comete quase o mesmo erro — é um genérico de suspense e ação como muitos telefilmes da década de 80. Liam Neeson volta ao papel do ex-agente da CIA Bryan Mills, que tem um grande xodó pela filha (Maggie Gracie) e está separado da mulher (Famke Janssen), com quem ainda se relaciona amigavelmente. A paz do protagonista, porém, está com as horas contadas. Após ser procurado pelo novo marido dela (papel de Dougray Scott), Mills cai numa cilada: encontra a ex-esposa morta em seu apartamento e passa a ser apontado como o principal suspeito. Caçado por um investigador (Forest Whitaker), ele foge da polícia a fim de encontrar pistas para provar sua inocência. Segue-se, então, o thriller de praxe feito de reviravoltas frouxas e tensão programada. Estreou em 22/1/2015.
    Saiba mais
  • Livremente inspirado no bem-sucedido espetáculo musical Tangos & Tragédias, dos gaúchos Hique Gomez e Nico Nicolaiewsky (1957-2014), Até que a Sbornia Nos Separe é mais um golaço na carreira do realizador Otto Guerra (de Wood & Stock: Sexo, Orégano e Rock’n’Roll). Em parceria com Ennio Torresan Jr., brasileiro radicado nos Estados Unidos e desenhista da DreamWorks, Guerra fez uma animação rica em detalhes, seja na forma, seja no conteúdo. Os belos traços à moda antiga lembram os do francês Sylvain Chomet, diretor de As Bicicletas de Belleville e O Mágico. Em trama absurdamente divertida, a Sbornia é uma ilha fictícia ligada ao continente sul-americano por um istmo. Seus moradores têm hábitos esquisitos como cumprimentar as pessoas com lambidas e dormir de cabeça para baixo. Após a derrubada de um muro, a Sbornia começa a ser invadida pelos vizinhos — e vice-versa. Entre outros personagens estão os amigos e músicos Kraunos e Pletskaya, papéis de Gomez e Nicolaiewsky na peça, sempre metidos em confusões amorosas. O esplêndido visual mistura elementos de várias épocas, assim como a trilha sonora, que resgata de Pixinguinha a Menudo. Estreou em 22/1/2015.
    Saiba mais
  • Com entrada gratuita, a mostra Verão de Clássicos, na Cinemateca, traz um dos primeiros filmes de Pedro Almodóvar. Trata-se da comédia Maus Hábitos, dirigida pelo espanhol em 1983. A fita, programada para o sábado (21/2), às 21h, integra uma seleção de mais nove longas-metragens, que ficam em cartaz até domingo (22/2).
    Saiba mais
  • Antes uma série para a TV francesa com desenhos de cinco a seis minutos, Minúsculos chega ao cinema com ambição maior. Virou um longa-metragem de uma hora e meia e projeção em 3D. O passo dos realizadores Thomas Szabo e Hélène Giraud foi maior do que a perna. Sem um único diálogo, com trilha sonora instrumental e uma história muitas vezes arrastada, a animação traz uma técnica primorosa, mas perde o foco ao tentar agradar a crianças e adultos. Na trama, um casal (feito por atores) sai às pressas de uma montanha, deixando para trás os restos de comida de um piquenique. Ao sofrer um acidente e quebrar uma asa, uma joaninha encontra abrigo dentro de uma caixa de cubos de açúcar. Não demora para uma colônia de formigas descobrir o “tesouro” e, na sequência, deparar com um grupo rival disposto a brigar pelos torrões doces. Embora falte graça e agilidade para cair no agrado da molecada, o filme acerta na mosca ao recriar uma batalha épica de proporções fantásticas. Estreou em 22/1/2015.
    Saiba mais
  • Com o fechamento para reforma do CineSesc, a programação da sala se espalhou por outras unidades. O Sesc Consolação, por exemplo, vai exibir um dos três únicos longas-metragens estrelados pelo mito James Dean (1931-1955). Trata-se de Juventude Transviada, registro dos rebeldes da década de 50, dirigido por Nicholas Ray. A sessão está agendada para quarta (28), às 16h, e o ingresso custa R$ 12,00.
    Saiba mais
  • Christine (Nicole Kidman) sofreu um acidente e perdeu a memória no suspense dramático Antes de Dormir. Ao acordar, ela não lembra absolutamente nada do dia anterior. Ben (Colin Firth) precisa passar a limpo para a esposa a vida dela. Ele explica que são casados, não têm filhos e sai para trabalhar, deixando-a sozinha. O telefone toca, Christine atende e não sabe quem é o Dr. Nasch (Mark Strong), que repete a mesma ladainha cotidianamente: pede a Christine que encontre uma câmera fotográfica e reveja os vídeos feitos por ela mesma. Assim, a personagem vai descobrindo pontos obscuros de seu passado recente, como ter sobrevivido a um espancamento. A dúvida paira no ar. O mentiroso seria o médico muito atencioso ou o marido extremamente compreensível? Filmada na Inglaterra, a trama de mistério segura o interesse por quase uma hora devido às surpresas. Um desfecho morno e lacrimoso, porém, merece uma pergunta: por que Firth (O Discurso do Rei) e Nicole (As Horas), vencedores do Oscar, se meteram num filme quase igual a tantos outros? Estreou em 22/1/2015.
    Saiba mais
  • Limpando o celular

    Atualizado em: 23.Jan.2015

Fonte: VEJA SÃO PAULO