Criminalidade

Representantes de clínicas vão depor sobre vídeos de pacientes nuas

Técnico de radiologia preso em Sorocaba é suspeito de colocar câmeras escondidas nas salas de exames

Por: Redação VEJASAOPAULO.COM

Cinco representantes de hospitais e clinicas onde o técnico em radiologia Manuel Ávila trabalhou em Sorocaba foram intimados para prestar depoimento na Polícia Civil. Eles devem comparecer na delegacia até o final desta semana.

+ Polícia prende a “rainha da cracolândia”

Preso na última sexta-feira (8), Ávila é suspeito de filmar com câmeras escondidas por 10 anos pacientes trocando nas unidades de saúde onde atuou. A polícia investiga também se ele participava de alguma rede de pedofilia ou se vendida e publicava na internet as imagens.

+ Motorista de Mustang que atropelou motociclista é indiciado por homicídio

Responsável pelo caso, a delegada Ana Luíza Salomone, da Delegacia da Mulher da cidade, disse que a investigação tenta identificar se Ávila agia sozinho ou se contava com a ajuda de outras pessoas. “Tudo é possível. Não descartamos nenhuma hipótese. Vamos agora falar com os responsáveis pelas clínicas onde ele trabalhava.”

Caso

Ávila foi preso na última sexta-feira (8) em Sorocaba. Durante dez anos, Ávila supostamente gravava as imagens e guardava o material em um cômodo secreto em sua casa. De acordo com a delegada, a investigação teve início em janeiro como uma denúncia de violência doméstica.

“Depois, em contato com a ex-mulher dele, conseguimos esse material em junho. Ela encontrou e nos passou. Têm imagens de crianças e adolescente, mas a maioria é de mulheres.”

+ Confira o que acontece na cidade

Ana Luíza afirma que Ávila colocava as câmeras em diversos lugares nas salas onde os exames eram realizados. “Centenas de mulheres foram gravadas.” De acordo com ela, a polícia apreendeu uma grande quantidade de fitas, CDs, DVDs e HDs externos.

Fonte: VEJA SÃO PAULO