Negócios

Grandes redes de academias lançam novas unidades na capital

Ao custo de 22 milhões de reais, a Bodytech, por exemplo, inaugura um ponto no Shopping Eldorado na quinta (25)

Por: Isabella Villalba - Atualizado em

Academias 2231 - Bodytech - Accioly, Bernardinho, Urquiza e Diniz
Accioly, Bernardinho, Urquiza e Diniz: sócios na Bodytech (Foto: Fernando Moraes)

Fruto de um investimento de 22 milhões de reais — que preencheram seus 9.300 metros quadrados com 178 aparelhos de musculação, 42 esteiras e 44 outros equipamentos, duas piscinas semiolímpicas, restaurante e spa urbano com ofurô —, a mais nova unidade da Bodytech será reinaugurada na quinta-feira (25) no Shopping Eldorado, no mesmo espaço ocupado antes pela Fórmula Academia. Será a joia da coroa paulistana para a rede carioca, que desde 2008 já hasteou bandeira em outros seis pontos da cidade. “Visitei os melhores endereços americanos e europeus da área para criar o meu negócio, que é preparado para o frequentador poder relaxar e passar o dia inteiro se quiser”, diz Alexandre Accioly, que na empreitada é sócio do empresário João Paulo Diniz, do ex-banqueiro Luiz Urquiza e do técnico da seleção brasileira de vôlei masculino, Bernardinho.

+ Conheça os luxos de algumas academias vips de São Paulo

+ Personal trainers de famosos dão dicas para ficar sarado

+ Treinar ouvindo música ajuda ou atrapalha?

A novidade integra os planos de expansão nacional da rede, que hoje tem 52.000 matriculados em todo o país (mais da metade em São Paulo) e espera chegar a 100.000 até 2015. “Queremos ampliar quatro vezes o faturamento da rede, batendo a casa dos 620 milhões de reais até lá”, afirma Urquiza. “Acreditamos que a proximidade da Olimpíada do Rio tenha efeito no comportamento dos clientes, que se animam a praticar esportes”, completa Accioly.

Academias 2231 - Bio Ritmo - Edgard Corona
Edgard Corona, da Bio Ritmo: “Meu inimigo é o sofá” (Foto: Fernando Moraes)

O quarteto está longe de correr sozinho nesse mercado de malhação top, com mensalidades de 300 reais, em média. Um dos gigantes do setor, a Bio Ritmo mantém o embalo de investimentos. Com 24 unidades e 62.000 alunos em São Paulo (se somados aos da rede Smart Fit, do mesmo sócio, Edgard Corona, o grupo alcança 100.000 clientes no país), chegará a seis novos endereços ainda neste ano, em bairros como Moema e Itaim. O foco é consolidar a marca Bio Ritmo na capital paulista, enquanto a Smart Fit, com preços entre 49 e 79 reais, deve crescer em outros estados. A concorrência, afirma Corona, não incomoda, porque o público potencial do negócio é grande. “Meu inimigo é o sofá do cliente”, diz ele. Entre as atrações para motivar os paulistanos a abandonar os chinelos, a rede oferece aula especial de spinning com óculos 3D, que fazem o telão da sala parecer uma trilha de verdade.

+ Xaveco Virtual: nossa ferramenta para paquerar no Twitter

Academias 2231 - Companhia Athletica
Companhia Athletica, no Estádio do Morumbi: crescimento com cautela (Foto: Divulgação)

A Runner, que já tem dez unidades na capital, informa, por sua vez, que abrirá mais quatro neste ano. Na contramão dessa correria, a Companhia Athletica, uma das pioneiras no país, inaugurada em 1985, adota um tom mais cauteloso. Com quatro filiais na capital, seu objetivo é abrir não mais do que outras duas até 2015 e focar na atualização das já existentes. “Não queremos ser a maior, mas a melhor”, resume o presidente Richard Bilton.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO