Para todas as idades

Exposição de gente grande também diverte os pequenos

Selecionamos seis grandes mostras que os pais podem conferir com a criançada

Por: Anna Carolina Oliveira e Rafael Argemon - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Muito se engana quem diz que museu é um passeio chato e entediante para as crianças. A experiência de andar pelos corredores abarrotados de quadros, esculturas e diversas obras pode ser, não só enriquecedora culturalmente, mas muito divertida.

Para os pais que precisam de ajuda para convencer a turminha a trocar o computador e a televisão por uma exposição, VEJA SÃO PAULO elaborou uma lista com seis grandes mostras que vão despertar o interesse da garotada. A seleção foi feita com a ajuda dos curadores Fábio Magalhães, Larissa Correa, Maria Alice Milliet e Carla Oliveira; e Paulo Portella Filho, coordenador do Serviço Educativo do Masp.

Confira  abaixo  o que os grandes acervos e atrações reservam para as crianças:

O segredo aqui é selecionar bem as atrações para não cansar os pequenos — afinal, são cerca de 2.900 obras de 111 artistas. Opte pelas peças mais coloridas, como as presentes na sala dedicada a Arthur Bispo do Rosário. “O espaço tributo cria um mundo poético e, por isso, desperta o interesse dos adultos e os mais novos”, justifica Fábio Magalhães. O acervo é composto por mantos repletos de inscrições, esculturas feitas com garrafas, pneus, roupas e outros materiais descartados, pequenos barcos e construções curiosas feitas a partir de pedaços de brinquedos, talheres e quinquilharias. “A exposição é muito interessante porque o artista utiliza materiais disponíveis a qualquer pessoa. As crianças podem sentir sua criatividade estimulada produzindo obras como as do Bispo do Rosário, utilizando materiais comuns e ao alcance”, acrescenta Maria Alice Milliet.

Mais pelo valor educativo do que o lúdico, a atração é de visita obrigatória para a formação cultural da turminha. "Eu aconselho os pais e educadores levarem as crianças para ver as obras de Renoir, Monet e Cézanne", diz Paulo Portela. Para ele, nesse passeio não pode faltar o quadro "A ponte japonesa", de Claude Monet.

Obra A Casa É o Corpo (Lygia Clark)
Obra "A Casa É o Corpo" – instalação da exposição de Lygia Clark que permite a passagem das pessoas por seu interior (Foto:  Edouard Fraipont)

Uma projeção de vídeo em quatro paredes que dá ao espectador a sensação de caminhar pela rua, um filme sensorial com jogo de luz e somum filme sensorial com jogo de luz e som e 150 obras feitas com materiais diversos. Pronto! Reúna isso tudo e você oferece ao seu filho uma experiência lúdica e intelectual. “A mostra possui visitas educativas onde pais e filhos são acompanhados por um educador. Assim a família descobre junta a obra da artista, estimulando a interação entre a arte, os pais e seus filhos”, conta Larissa.

Willys de Castro é um dos mais importantes artistas brasileiros do movimento Concreto e Neoconcreto, das décadas de 1950 e 1960. A exposição conta com cerca de 130 trabalhos, entre pinturas, desenhos, objetos, design gráfico, estudos e projetos, todos realizados entre 1952 e 1988. “Cores e formas são temas interessantes para crianças de qualquer idade”, diz Carla Oliveira, que também indica a mostra do venezuelano Alejandro Otero: “O trabalho dele utiliza muito a ilusão ótica. Com isso podemos trabalhar muitos assuntos e aguçar a criatividade das crianças”.

Fonte: VEJA SÃO PAULO