Exposição

Grafite no MASP

O principal e o mais tradicional museu paulistano hospeda mostra com seis nomes do grafite

Por: Jonas Lopes - Atualizado em

Grafite no MASP Foto 2
Vista geral da montagem: intenção de renovar o público (Foto: Fernando Moraes)

Considerado o mais importante museu da América Latina, abrigado em um dos cartões-postais da cidade, o Masp sedia a partir de sexta (20) uma exposição bem diferente das que o paulistano está acostumado a ver ali. Na mostra De Dentro para Fora/De Fora para Dentro, seis grafiteiros exibem sua produção por meio de murais, telas, instalações interativas, fotografias e vídeos. O trabalho é mais um fruto do burburinho atual em torno da chamada arte de rua, que já rendeu a comentada Galeria Choque Cultural, na Vila Madalena, e consagrou a dupla osgemeos - os irmãos que levaram quase 7 000 pessoas à Faap somente no primeiro fim de semana de sua individual. Segundo o curador do Masp, Teixeira Coelho, havia algum tempo a instituição vinha discutindo uma forma de explorar a arte de rua. ' O museu tem como papel construir uma ponte com duas mãos: atrair o pessoal mais jovem, que possa subir e se encantar com Rodin e o nosso acervo, e abrir os olhos dos mais velhos para essas manifestações contemporâneas', afirma.

Todo o subsolo do edifício projetado por Lina Bo Bardi (1914-1992) será tomado por murais enormes, corredores, bancos para o público sentar-se e até uma sala para os visitantes escreverem na parede. ' Nossa ideia é integrar as

obras ao programa educativo ', conta o arquiteto Baixo Ribeiro, sócio da Choque Cultural e curador da mostra ao lado

de sua mulher, a também arquiteta Mariana Martins, e do historiador Eduardo Saretta. ' Vamos preparar os monitores para manter uma relação de corpo a corpo com os espectadores, menos presa a textos formais e decorados.' A biblioteca do prédio será ainda abastecida com publicações ligadas a quadrinhos, tatuagem e animações.

Os seis nomes reunidos em De Dentro para Fora/De Fora para Dentro recusam o rótulo de grafiteiros. Segundo eles, a classificação vale apenas para quem produz trabalhos na rua. Titi Freak, que apresenta um painel de 7 metros de altura, por exemplo, diz-se influenciado por Matisse e Picasso e também por moda e quadrinhos. Zezão dialoga com a videoarte e expõe fotografias do cotidiano da cidade. Stephan Doitschinoff chega a discutir questões como culpa e redenção. Completam a coletiva Carlos Dias, Daniel Melim e Ramon Martins. Todos começaram a lidar com o spray em São Paulo. ' O cotidiano da cidade é uma escola ', afirma Baixo Ribeiro. ' E a mais rica de todas.'

DE DENTRO PARA FORA/DE FORA PARA DENTRO. Masp. Avenida Paulista, 1578, ☎ 3251-5644, E Trianon-Masp. Terça, quarta e sexta a domingo e feriados, 11h às 18h; quinta, 11h às 20h. R$ 15,00. Cc: D, M e V. Cd: todos. A bilheteria fecha uma hora antes. Grátis às terças para todos os visitantes; nos demais dias, grátis para menores de 10 anos, pessoas com mais de 60 e grupos de estudantes de escolas públicas agendados. Até 5 de fevereiro de 2010. A partir de sexta (20).

Fonte: VEJA SÃO PAULO