FUTEBOL

Grade cede e comemoração quase acaba em tragédia em vitória do São Paulo

Cerca de trinta torcedores sofreram ferimentos após proteção cair durante comemoração de gol 

Por: Estadão Conteúdo

Morumbi
Torcedores feridos após grade de proteção ter cedido (Foto: Marcos Bezerra/Futura Press/Folhapress)

A vitória do São Paulo quase acabou em tragédia na noite desta quarta (11), no Morumbi. No momento do gol marcado por Michel Bastos, os torcedores do camarote, no anel inferior, se aglomeraram e uma grade rompeu, fazendo com que muitos deles caíssem no fosso que separa a arquibancada do gramado.

A estimativa inicial apontou de vinte a trinta torcedores que sofreram a queda. Segundo o médico do São Paulo, José Sanchez, cerca de quinze receberam atendimento no local, sendo que oito deles foram encaminhados para hospitais da região. 

Não houve relato de casos graves, mas houve pelo menos um registro de fratura, no braço. Três são-paulinos precisaram de atendimento da ambulância, sendo que um deles, teve um corte no rosto. 

Pelo menos uma torcedora foi carregada pelo volante Wesley, que, ao ver o fato, parou de comemorar e tratou de ajudar os são-paulinos. Paulo Henrique Ganso também auxiliou os torcedores. 

Apesar do susto e da paralisação por cerca de cinco minutos, nenhum torcedor chegou a se ferir com gravidade. "Ficamos felizes pela vitória, mas também ficamos apreensivos, queríamos saber se alguém tinha se machucado. Torcemos para que todos estejam bem", disse o zagueiro Rodrigo Caio. "Espero que não tenha sido nada grave", afirmou Ganso.

Pouco uso

O São Paulo afirmou que a grade de proteção de um dos camarotes que caiu tinha dois anos de uso. Segundo o vice-presidente de comunicações e marketing do clube, José Francisco Manssur, a estrutura estava em boas condições. Ele prometeu que além de prestar assistência às vítimas, a diretoria vai apurar as causas do acidente ocorrido durante a partida contra o Atlético-MG, pela Copa Libertadores.

"A gente precisa verificar o que causou. Qualquer cercado aguentaria? Não sei. O cercado ideal aguentaria? Não podemos saber disso agora. Temos que cuidar das pessoas e deixar as verificações técnicas para depois", afirmou o dirigente. "O cercado da área está ali há uns dois anos. É forte o suficiente para ter resistido esse tempo todo. Agora no momento do gol, com um número de pessoas indo até a área...Precisamos verificar o que causou", disse.

Aos 34 minutos do segundo tempo, Michel Bastos marcou de cabeça o gol da vitória por 1 a 0. O meia correu para comemorar em direção à torcida quando a aglomeração de um grupo de são-paulinos fez ceder a barra de ferro e os levou a cair no fosso, em uma queda de cerca de dois metros. Segundo as vítimas, foram cerca de 30 envolvidos. O São Paulo afirmou que foram 16 torcedores atendidos no ambulatório e sete transferidos para hospitais.

"As lesões não representam risco de perda de vida, são fraturas, cortes e etc. Eles estão sendo prontamente atendidos. O São Paulo está dando 100% de atenção. As apurações serão feitas depois, quando a gente tiver a tranquilidade de que todo mundo foi atendido", afirmou o dirigente. A área do acidente era de um camarote com a presença de convidados de empresas parceiras do clube.O jogo teve a presença de 61,2 mil torcedores, o maior público no futebol brasileiro neste ano. O São Paulo não confirmou a quantidade de pessoas que estavam na área do acidente por ser necessário requisitar às organizadoras do camarote o número de ingressos que foram repassados para os convidados.

Fonte: VEJA SÃO PAULO