Cinema

'O Golpista do Ano': romance gay traz Jim Carrey, McGregor e Santoro

No filme, ex-policial casado (Carrey) conhece o amor de sua vida na cadeia

Por: Miguel Barbieri Jr. - Atualizado em

O Golpista do ano-2168
Jim Carrey e Ewan McGregor: namorico atrás das grades (Foto: Divulgação)

As primeiras notícias sobre as filmagens de O Golpista do Ano, em maio de 2008, davam conta de que a produção seria uma comédia trazendo Rodrigo Santoro na pele do namoradinho de Jim Carrey. Exibida no Festival de Sundance em janeiro de 2009, a fita chega agora aos cinemas paulistanos — nos Estados Unidos, seu lançamento está programado só para o fim de julho. Há especulações sobre o atraso: o longa-metragem é ousado e difícil de ser rotulado. Por isso, os distribuidores, entre eles os americanos, não devem saber a quem endereçá-lo.

Ao longo da projeção, a plateia notará estar diante de algo singular. O humor, por exemplo, transita da caricatura para momentos negríssimos. Em trabalho radical, o roteiro exibe algumas sequências pesadas de sexo, mas sempre em tons divertidos. Lá no fundo, trata-se de uma história de amor gay. O resultado, contudo, só ganha satisfação plena com a entrega de Jim Carrey e Ewan McGregor, que não tiveram medo de abraçar papéis polêmicos.

Inspirada em fatos reais e recolhida de livro homônimo do jornalista Steve McVicker, a trama apresenta a excêntrica trajetória de Steven Russell (Carrey). Esse policial descobre que pode ter uma vida mais confortável fraudando companhias de seguro. Embora casado com Debbie (Leslie Mann), mantém parceiros homossexuais — Santoro faz um dos primeiros. Muita coisa muda depois de Russell ir parar a cadeia. Atrás das grades, conhecerá a verdadeira paixão nos braços do meigo presidiário Phillip Morris (McGregor).

Fonte: VEJA SÃO PAULO