Esporte

Confederação afasta ginastas que fizeram vídeo racista

Arthur Nory, Fellipe Arakawa e Henrique Flores ficarão trinta dias fora da seleção e perderão bolsas e incentivos financeiros

Por: Ana Luiza Cardoso - Atualizado em

Ginastas
Os atletas Ângelo Assumpção, Henrique Flores, Fellipe Arakawa e Arthur Nory (Foto: Reprodução)

A Confederação Brasileira de Ginástica decidiu punir os ginastas Arthur Nory, Fellipe Arakawa e Henrique Flores por vídeo divulgado no aplicativo Snapchat em que eles fazem piadas racistas contra o atleta negro Ângelo Assumpção. Os três serão afastados da seleção brasileira e não poderão competir em eventos nacionais e internacionais por trinta dias. Eles ficarão fora do Sul-Americano que ocorrerá entre os dias 16 a 22 de junho. Eles também perderão bolsa e incentivos financeiros do governo federal.

A confederação informou que o afastamento preventivo começou nesta quinta-feira (21). A entidade afirmou ainda que “será feito um forte trabalho educacional com as comissões técnicas e atletas de todas as modalidades que compõem a ginástica para que esse tipo de atitude não volte a acontecer”.

Professora diz ter sido vítima de racismo em loja

No vídeo postado por Arthur Nory, atleta do Pinheiros, na última sexta-feira (15), no Snapchat, os três amigos fazem piadas racistas contra Ângelo. Eles o comparam a telas de celulares quebradas e sacos de lixo. “O saquinho do supermercado é branco e o do lixo? É preto”, brincam, enquanto Ângelo segue calado. Depois eles tentam pedir desculpas para o atleta, que os chama de falsos.  

Animale apura acusação de racismo em loja da Oscar Freire

Após a repercussão do caso, Nory postou um segundo vídeo na conta no Instagram pedindo desculpas a Ângelo. Nas imagens, os quatro estão reunidos e dizem que todos são amigos e que apenas tinham feito um brincadeira. “Vocês entenderam errado”, diz o Fellipe Arakawa, atleta do Serc/São Caetano. 

+ Confira as últimas notícias 

Fonte: VEJA SÃO PAULO