Abastecimento

'Gato' de água desviou 2,6 bilhões de litros, diz Sabesp

Fraude na região metropolitana corresponde a dois dias de produção do Sistema Cantareira

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Desperdício de água
Homem lava fachada de condomínio na Rua Barão de Capanema, no Jardim Paulistano: desperdício (Foto: Fernando Moraes)

A Sabesp informou nesta segunda-feira (2) que o volume de água potável desviado por fraudes na região metropolitana em 2014 chegou a 2,6 bilhões de litros, quantia suficiente para abastecer 260 000 pessoas por um mês e que corresponde a dois dias de produção do Sistema Cantareira atualmente. A multa cobrada dos fraudadores  - que fazem ligações irregulares, os chamados "gatos" - foi de 17,4 milhões de reais, segundo a companhia.

+ Preço do galão de água varia até 40% em São Paulo

+ Rodízio proposto há um ano pouparia 12,3% do Cantareira

"A Sabesp detectou 15 600 fraudes no ano passado, nos municípios atendidos pela companhia na Grande São Paulo e na Região Bragantina, aumento de 13% em relação a 2013", informou a estatal, destacando que as irregularidades ocorreram tanto em residências quanto em estabelecimentos comerciais. As vistorias da Sabesp cresceram 31% no ano passado em relação a 2013. O valor total da água furtada saltou de 14,7 milhões de reais em 2013 para 17,4 milhões de reais em 2014.

Racionamento

O Sistema Cantareira começou o mês de fevereiro em queda. Após sete dias de estabilidade, o nível do reservatório caiu 0,1%, saindo de 5,1% para 5% no domingo (1º) e permaneceu no mesmo patamar nesta segunda (2). 

O governo Geraldo Alckmin (PSDB) já admite que estuda a adoção de racionamento na Grande São Paulo - no cenário mais drástico, serão cinco dias sem água e dois com. A medida não tem data, mas é provável começar a valer entre março e abril, quando o Cantareira deve chegar a zero. 

+ Cresce procura por caminhões-pipa; saiba como contratar

(Com Estadão Conteúdo)

Fonte: VEJA SÃO PAULO