Gastronomia

As preferências dos paulistanos nos restaurantes

Saiba quais são os pratos prediletos e o que os consumidores consideram importante

Por: Arnaldo Lorençato

Lasanha - 2238
Clássica versão à bolonhesa: servida em lugares como a cantina La Penisola (Foto: Mario Rodrigues)

Em levantamento coordenado pelo Departamento de Pesquisa e Inteligência de Mercado da Abril Mídia, VEJA SÃO PAULO pediu a 1.235 leitores que revelassem suas predileções à mesa.

O resultado deixa claro que prevalece o paladar italiano. Entre os pratos dessa culinária, o número 1 é a lasanha. Na hora da sobremesa, o pudim de leite sagra-se campeão. Com tantas calorias, o cafezinho leva adoçante para 47%. Confira essas e outras respostas a seguir:

+ Salgadinhos de grife para crianças afortunadas

+ Os melhores ambientes de restaurantes

+ Sete estilos musicais em sete noites

PRATOS FAVORITOS

1º lasanha

churrasco

sushi e sashimi

 

Xícara de café - 2238
(Foto: Marcelo Spatafora)

CAFÉ

Como as pessoas costumam bebê-lo:

47% com adoçante

36% com açúcar

17% não adoçam 

 

Vinho - 2238
(Foto: Ligia Skowronski)

 BEBIDA

A preferida em restaurantes e bares:

38% vinho

17% cerveja

17% sucos 

 

Pudim - 2238
Atração do restaurante Sinhá: 7,50 reais (Foto: Arnaldo Lorençato)

SOBREMESA

O primeiro doce que vem à cabeça na hora do pedido:

27% pudim de leite

20% petit gâteau

11% musse de chocolate 

 

COMER FORA DE CASA

O que é valorizado na hora de escolher um estabelecimento:

A Bela Sintra - 2238
Gentileza no atendimento: ponto forte da brigada do A bela Sintra (Foto: Ligia Skowronski)

 

Qualidade da comida

95% Muito importante

4,5% Importante

0,5% Menos importante

Preço justo

76% Muito importante

20% Importante

4% Menos importante

 

Garçons, maîtres e sommeliers atenciosos

68% Muito importante

28% Importante

4% Menos importante

Ambiente

62% Muito importante

34% Importante

4% Menos importante

Badalação

4% Muito importante

17% Importante

79% Menos importante

 

Quadro - Gastronomia 2238
(Foto: Veja São Paulo)

Fonte: VEJA SÃO PAULO