Crianças

Turma da Mônica ganha novo game para tablets e smartphones

Usuário interpreta a personagem principal e tem como objetivo dar coelhadas em Cascão e Cebolinha

Por: VEJINHA.COM - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Agora vai ser mais difícil para o Cascão e o Cebolinha escaparem da Mônica. A Mauricio de Sousa Produções lançou um novo game para smartphones e tablets em que os jogadores ajudam a menina de vestido vermelho a acabar com os planos infalíveis. Coelhadas da Mônica está disponível para venda na AppStore e Google Play por US$ 1,99.

+ Cidade das Crianças: um blog de pais para pais

O aplicativo faz parte das comemorações dos 50 anos da dentuça mais querida do Brasil e recria as confusões da turminha. O cenário é parecido com as imagens dos quadrinhos: Mônica persegue os garotos pelo bairro do Limoeiro, onde moram. As habilidades do jogador, como o controle do ângulo, velocidade e pontaria, farão com que ela consiga acertar os rivais nas manobras.

Na lista abaixo, veja outras opções de aplicativos. Desta vez, no entanto, gratuitos:

  • Turma da Galinha Pintadinha — são três clipes com legenda: Lava a Mão, O Meu Galinho e Galinha Pintadinha
  • Pocoyo TV — episódios em português com o protagonista, um garoto brincalhão, e seus amigos Pato, Elly, Loula e Sonequita
  • SketchBook Express — programa para fazer desenhos com a ajuda dos aparelhos
  • Abelhas Estressadas! — jogo em que é preciso formar bolhas sem deixar que os insetos as estourem
  • Talking Pocoyo — o personagem repete o que a criança diz, faz mímica de bichos para adivinhação e oferece teclado para tocar música
  • O Verdureiro — Puzzle — peças se arrastam e se juntam para formar tomate, banana e uva, por exemplo. As imagens também podem ser coloridas
  • Savana — Puzzle para Colorir — leão, dromedário e búfalo são formados por peças e ganham cores com o deslizar dos dedinhos
  • ChocoLapps — livros eletrônicos trazem fábulas, como As Aventuras de Peter Pan, com ferramenta do tipo karaokê para auxiliar a leitura

Fonte: VEJA SÃO PAULO