Sem folia

Para fugir do samba no domingo (19): cinema

Quatro filmes para você sair do clima de Carnaval

Por: Redação VEJINHA.COM

Histórias Cruzadas - The Help
'Histórias Cruzadas': fita discute o desconfortável convívio entre brancos e negros em Mississippi da década de 60 (Foto: Divulgação)

+ Programas para fugir do samba neste domingo (19)

+ 80 programas sem folia

  • Ao ser lançado nos Estados Unidos, no fim de 1991, este desenho provocou um certo frenesi. Além de ter sido um dos pioneiros na utilização de computadores, que deram efeito tridimensional à cena do baile, foi a primeira animação da história a concorrer ao Oscar de melhor filme — perdeu para O Silêncio dos Inocentes, mas saiu da cerimônia com os troféus de melhor trilha sonora e melhor canção. Vinte e cinco anos depois, a fita retorna aos cinemas, agora em cópias em 3D. A história trata de um príncipe arrogante que ganha aparência monstruosa por causa de um feitiço. Para voltar a ser o belo moço de antes, terá de conquistar o amor de uma mulher. Feita prisioneira no castelo da Fera, a jovem Bela esbanja charme e simpatia para dobrar o durão. Os traços à moda antiga de A Bela e a Fera podem parecer ultrapassados diante de trabalhos novos tecnicamente mais impressionantes. Contudo, a graça dos personagens secundários, o clima de fábula e fantasia e o romance dos protagonistas continuam encantadores. Reestreou em 3/2/2012.
    Saiba mais
  • Resenha por Miguel Barbieri Jr.: Tintim é um personagem criado pelo belga Hergé (1907-1983) no fim da década de 20, muito mais famoso na Europa do que nos Estados Unidos. Por isso, Spielberg só foi conhecê-lo já adulto. Agora, numa parceria com o diretor neozelandês Peter Jackson ("O Senhor dos Anéis"), adaptou algumas histórias do protagonista para esta animação. O processo de filmagem foi o mesmo usado em fitas como "Os Fantasmas de Scrooge". A performance capture, ou “captura de atuação”, grava as cenas com os atores e, em seguida, os animadores fazem seu trabalho. Com resultado técnico fabuloso, o desenho tira um pouco da fantasia do original para investir numa trama agitada, não à toa aos moldes da cinessérie Indiana Jones. Dotado de um senso investigativo, o rapazinho Tintim (Jamie Bell) trabalha como repórter e, ao comprar a réplica em miniatura de um antigo galeão, passa a ser perseguido por um misterioso sujeito também interessado na relíquia. A partir daí começa a aventura do protagonista, que, ao lado do esperto cãozinho Milu, embarca num navio rumo ao Marrocos, onde conhece o beberrão capitão Haddock (Andy Serkis). Embora o ritmo caia em alguns momentos, Spielberg imprime sua marca de ação, sobretudo em dois momentos: na sequência dentro de um avião e na espetacular fuga de Tintim num vilarejo marroquino. Estreou em 20/01/2012.
    Saiba mais
  • Resenha por Miguel Barbieri Jr.: A Academia de Hollywood soube reconhecer: a maior atração do drama é a atuação de suas atrizes. Viola Davis ganhou o prêmio do sindicato, mas perdeu o Oscar de melhor atriz para Meryl Streep ("A Dama de Ferro"). Na categoria de coadjuvante, entre a negra Octavia Spencer e a branca Jessica Chastain, a primeira foi vencedora. Adaptado do livro "A Resposta", de Kathryn Stockett, o longa-metragem traz à tona um registro humano da convivência entre brancos e negros no racista estado do Mississippi da década de 60. A jovem repórter Skeeter (Emma Stone) deseja tornar-se escritora e arranja um assunto bombástico para seu primeiro livro. Às escondidas, ela quer entrevistar domésticas e babás negras para relatar algumas das desagradáveis experiências vividas por elas junto aos patrões. A primeira a ajudá-la é Aibileen (Viola). Em seguida, Skeeter consegue o depoimento da explosiva Minny (Octavia). Além de as histórias delas ficarem aquém do esperado, o enredo enfoca a vida fútil das dondocas brancas recorrendo a clichês. Estreou em 03/02/2012.
    Saiba mais
  • Resenha por Miguel Barbieri Jr.: Espécie de continuação de “Viagem ao Centro da Terra” (2008), esta aventura infanto-juvenil tem menos efeitos saltando da tela (nas cópias em 3D), mas mantém o clima de matinê do filme anterior. Na trama, Josh Hutcherson (o garoto de “ABC do Amor”), crescido e candidato a galã das adolescentes, interpreta Sean Anderson, um rapazote fascinado por literatura graças ao incentivo de seu avô desaparecido (Michael Caine). Às voltas com um pedido de ajuda cifrado, Sean ganha o apoio do padrasto (Dwayne Johnson) para decodificá-lo. Sobrepondo os mapas encontrados nos romances “As Viagens de Gulliver”, de Jonathan Swift, “A Ilha Misteriosa”, de Julio Verne, e “A Ilha do Tesouro”, de Robert Louis Stevenson, a dupla localiza o enigmático pedaço de terra no meio do Pacífico Sul. Eles se mandam para lá e, acompanhados de um piloto destrambelhado (Luis Guzmán) e da filha gatinha dele (papel de Vanessa Hudgens), são tragados dentro de um helicóptero para o olho de um furacão. O grupo acaba em uma ilha habitada por minielefantes, abelhas e lagartos gigantes. Esquemático, o roteiro se vale de frases feitas e soluções simplistas. Mas será que a criançada se liga em diálogos quando a fantasia rola solta na tela? Forrada de efeitos visuais atraentes, a história indica: ler livros dá asas à imaginação, um bom conselho para a meninada da era do videogame e da internet. Estreou em 03/02/2012.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO