Moda

Rede americana Forever 21 chega a São Paulo neste sábado (15)

A marca de roupas desembarca no MorumbiShopping com presentes para as primeiras clientes

Por: Carolina Giovanelli - Atualizado em

F21a
Uma das unidades estrangeiras da Forever 21: em São Paulo, as 500 primeiras clientes na fila da inauguração levam um presente (Foto: Divulgação)

Após muita espera por parte das fashionistas paulistanas, a abertura da primeira loja da rede americana Forever 21 em São Paulo já tem data: sábado, dia 15, às 10h, no MorumbiShopping. A inauguração promete causar estardalhaço. As primeiras 500 clientes na fila receberão um presente.

 

A chegada do negócio faz parte de uma leva de marcas gringas de roupas e outros itens que têm invadido a cidade nos últimos tempos, a exemplo de Gap, Topshop e Desigual. 

Famosa por seus preços convidativos no exterior e presente em países como Inglaterra, Japão e Canadá, Forever 21 ocupará em São Paulo um espaço de dois andares e 1 172 metros quadrados. Roupas, lingeries, acessórios e sapatos femininos rechearão as prateleiras.

F21b
Só moda feminina: roupas, lingeries e acessórios recheiam as prateleiras no MorumbiShopping (Foto: Divulgação)

De acordo com Linda Chang, gerente geral de produtos da Forever 21, a expectativa para a abertura das primeiras lojas no Brasil é grande. "Vemos um grande potencial de expansão no Brasil por se tratar de um dos países economicamente mais fortes da América Latina. Estamos ansiosos para trazer a este mercado a nossa vasta seleção de produtos de moda", complementa Chang.

Haverá uma festa do tipo soft opening só para convidados nesta quinta (13), às 19h. No dia 22, o VillageMall, no Rio de Janeiro, ganhará também sua primeira loja da marca, que venderá ainda a linha masculina.

Criada em Los Angeles, na Califórnia, em 1984, a Forever 21 ocupa a 122ª posição na lista das maiores empresas privadas do mundo, segundo a revista americana Forbes. A companhia tem um lucro estimado em 3,7 bilhões de dólares ao ano e mais de 30 000 funcionários em todo o mundo.

Fonte: VEJA SÃO PAULO