Trânsito

Haddad veta fim do rodízio em São Paulo

Vereadores haviam aprovado projeto em votação polêmica na última quinta (29)

Por: Redação VEJASÃOPAULO.com - Atualizado em

Mistérios - Trânsito
Confusão na Rua Abegoaria, em Pinheiros (Foto: Mario Rodrigues)

O prefeito Fernando Haddad vetou o projeto que previa o fim do rodízio municipal de veículos em São Paulo. A decisão foi publicada neste sábado (31) no Diário Oficial.

A aprovação ocorreu na última quinta-feira (29) em votação simbólica - quando há consenso prévio sobre um determinado assunto ou o tema é menos importante - na Câmara dos Vereadores e causou polêmica. O presidente da casa, José Américo (PT), afirmou que não vai mais deixar propostas polêmicas como esta serem aprovadas sem discussão. Outros parlamentares acusaram Américo de ter deixado, de propósito, o projeto na lista de votações simbólicas.

Assim que soube do ocorrido, na sexta-feira (30), o prefeito sinalizou que não sancionaria esse tipo de lei.

Na justificativa do veto, no Diário Oficial do município, Haddad diz que "por se tratar de medida que afeta diretamente vasta parcela dos paulistanos, a extinção do rodízio deve ser precedida de amplo debate com a sociedade e estar aliada a outras ações que assegurem a adequada mobilidade de seus cidadãos."

O rodízio municipal de veículos foi estipulado em 1997 e funciona nos horários de pico de congestionamento: das 7h às 10h e das 17h às 20h.  A frota de  São Paulo é de 7,6 milhões de veículos. 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO