Cinema

Filmes de arte em cartaz no Cinemark

Semanalmente a rede exibe um circuito alternativo

Por: Redação VEJA SÃO PAULO

Instinto Materno
'Instinto Materno': mãe superprotetora (Foto: Divulgação)

A rede Cinemark exibe, semanalmente, um filme do circuito alternativo no projeto Cine Cult. Confira a programação:

+ Leia mais sobre cinema

  • Conforme foi divulgado dias atrás, o ator Paul Walker, morto em novembro de 2013, terá uma versão digital para que sejam concluídas as filmagens de Velozes & Furiosos 7. A primeira parte da trama de O Congresso Futurista aborda uma vertente desse assunto. Num futuro próximo, a atriz Robin Wright, do seriado House of Cards, interpreta a si mesma. Com 44 anos, não consegue mais bons papéis e está destinada a ser esquecida pela indústria do cinema. Seu empresário (Harvey Keitel) já tinha perdido as esperanças quando um estúdio faz uma proposta arriscada para Robin. Quer escanear seu corpo e suas expressões para usá-las em filmes de qualquer tipo. A princípio, ela recusa, mas, tendo de cuidar de um casal de filhos, acaba aceitando. Com a grana no bolso, Robin precisa desaparecer do mapa e, assim, sua imagem ficará eternamente jovem na tela. Não faltam ao novo trabalho de Ari Folman, diretor israelense de Valsa com Bashir (2008), originalidade, ousadia, humor nas entrelinhas, melancolia e muita piração. Os primeiros 45 minutos são estrelados por atores; o restante é uma animação lisérgica com personagens fictícios e reais, a exemplo de Tom Cruise e Grace Jones. Trata-se do momento em que Robin, já um desenho, chega ao tal congresso futurista para ser homenageada. Conselho para quem vai pegar uma sessão: deixe-se levar pela história hipnótica, feita de ilustrações magníficas e roteiro viajandão. Estreou em 27/3/2014.
    Saiba mais
  • Embora tenha levado o Urso de Ouro no Festival de Berlim no ano passado, este drama romeno trata de temas importantes porém resolvidos sem maior profundidade. A fita, em pré-estreia na cidade, traz uma personagem dominadora. Cornelia (a excelente Luminita Gheorghiu) é uma senhora da alta sociedade de Bucareste. Ela usa casacos de pele, fuma muito e detesta a nora. Ao saber que seu filho atropelou e matou um adolescente pobre, usa seu poder para livrá-lo de um processo. O trintão Barbu (Bogdan Dumitrache), contudo, está cansado da superproteção da mãe, quer ter uma vida independente e se sente arrasado pelo que fez. Nas entrelinhas do roteiro, são enfocados a luta de classes, o tráfico de influência e a corrupção na Romênia. Estreou em 20/3/2014.
    Saiba mais
  • Em seu primeiro longa-metragem de ficção, o pernambucano Marcelo Lordello traz uma premissa instigante. Cris (Maria Luiza Tavares) e seu irmão são deixados pelos pais à beira da estrada. Enquanto o rapaz sai em busca de ajuda, a menina, de 12 anos, fica à espera na companhia apenas do celular. O tempo passa e ninguém reaparece. Para matar a fome e a sede, Cris aceita ser levada por um estranho para uma pequena comunidade. Lá, conhece gente humilde disposta a resolver o impasse. Filha de um advogado com uma comerciante do Recife, a protagonista se dá conta de uma outra realidade. A primeira hora do drama transmite o recado diretamente em sua proposta de enfocar o choque social. A partir daí, o roteiro se perde em caminhos tortuosos para chegar a uma conclusão pretensamente emotiva. Estreou em 7/3/2014.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO