Passeio

Yayoi Kusama: uma hora e meia de fila só para entrar na mostra

Lá dentro, são mais duas horas; exposição da artista japonesa no Instituto Tomie Ohtake, que vai até 27 de julho, tem registrado espera em todos os fins de semana

Por: Redação VEJASÃOPAULO.com - Atualizado em

O sucesso da exposição Obsessão Infinita, da artista Yayoi Kusama, pode ser medido pelas longas filas que estão sendo enfrentadas pelo público. Neste domingo (29), a espera é grande em frente ao Instituto Tomie Othake: por volta das 15h40, cerca de uma hora e meia hora só para entrar no local, e mais duas horas nas filas internas, segundo o instituto.

+ Saiba tudo sobre a exposição da dupla OSGEMEOS no Galpão Fortes Vilaça, na Barra Funda

As pessoas se aglomeram desde a entrada do local, na Rua dos Coropés, em Pinheiros, e chegam até a calçada da Avenida Brigadeiro Faria Lima. A demora, porém, costuma maior ser maior lá dentro, já que o acesso aos espaços onde ficam as obras é limitado. A fila interna campeã é de uma obra em uma pequena sala de espelhos na qual só entram quatro pessoas por vez. 

Inaugurada no em 22 de maio, a exposição da polêmica artista japonesa - por vontade própria, ela vive em uma clínica psiquiátrica há 37 anos - traz móveis, esculturas e desenhos com as bolinhas que a tornaram famosa.

A entrada é gratuita e a exibição pode ser vista até 27 de julho. Confira dias e horários para visitar.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO