aeroporto

Fila para pegar um táxi em Guarulhos chega a uma hora

Empresa que opera o serviço afirma que o problema é o trânsito, que está um pouco acima da média. Apesar disso, o clima é de festa

Por: - Atualizado em

aeroporto1
Fila do táxi em Guarulhos chega a uma hora (Foto: Nataly Costa)

O Aeroporto Internacional de Guarulhos tem movimento intenso na noite desta quinta (11). Para pegar um táxi no desembarque do Terminal 2, a fila chega a uma hora. A Guarucoop, empresa responsável pelo serviço, culpa o trânsito: "os carros não conseguem chegar aqui", justifica um atendente.

De acordo com a CET, o nível de congestionamento está, de fato, um pouco acima da média. Às 19h11, eram registrados 174 quilômetros de lentidão. As vias próximas do aeroporto estão complicadas -- a Rodovia Hélio Smidt, por exemplo, está travada no sentido capital.

aeroportoestrangeiros
Grupo de mexicanos fez sucesso no Terminal 2 (Foto: Nataly Costa)

Isso, contudo, não tira a empolgação dos estrangeiros e o clima do aeroporto é bastante festivo. Um grupo de vinte mexicanos fez algazarra no Terminal 2. Quem passava, tirava foto da turma animada, que trouxe instrumentos musicais e tequila. Há também quem pare para tirar uma foto com o boneco Fuleco. 

Muitos dos estrangeiros que passam por ali escolheram São Paulo como primeira parada. "Não tenho ingresso ainda, vou comprar de cambista", diz o médico alemão Daniel Dauer. Ele e o irmão Dominic vão fazer praticamente um tour pelo país: além da capital, visitarão Rio de Janeiro, Porto Alegre, Fortaleza, Curitiba, Manaus e Brasília. "Para as disputadas da nossa seleção, estamos com as entradas na mão", completa Dominic.  

aeroportoalemaes
Os irmãos alemães Daniel e Domic vão tentar comprar ingressos de cambistas (Foto: Nataly Costa)

A assessoria de impresa da GRU Airport não informa se há aumento nos pousos em Guarulhos, apenas confirma que desde segunda (9), o movimento tem sido bem intenso em todos os terminais, sobretudo durante a manhã e a noite, quando chegam os voos internacionais. Durante a tarde, a maior movimentação é para destinos domésticos. 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO