Comportamento

Fãs enfrentam frio, chuva e baratas na fila para show do One Direction

Em esquema de revezamento, grupos se organizam para manter acampamento em frente aos portões do Estádio do Morumbi. Apresentações ocorrem nos dias 10 e 11 de maio

Por: Mariana Oliveira - Atualizado em

Fãs One Direction - Ariane Gambeiro Wagner
Ariane Gambeiro Wagner: "As pessoas que passam na rua deviam nos respeitar" (Foto: Lucas Lima/VEJA SP)

São Paulo teve, na última terça (15), a madrugada mais fria de 2014. Os termômetros caíram para 16,1° C, mas a sensação térmica era ainda menor.  Dentro de barracas de acampamento montadas próximas aos portões do Estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi, três fãs da banda One Direction enfrentaram a baixa temperatura para garantir os lugares mais próximos ao palco. 

One Direction
One Direction: ingressos para a apresentação começaram a ser vendidos há um ano (Foto: Divulgação)

A vinda da boyband inglesa à cidade não movimentou somente a rotina da Ariane Gambeiro, de 14 anos, da Priscilla Genda, de 18, e de Jaqueline Nascimento, também com 18 anos. Organizadas em três grupos de até vinte pessoas cada, meninas como elas passam os dias e as noites em frente ao Morumbi. O esquema de revezamento deve seguir até os dias 10 e 11 de maio, fim de semana em que Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan e Zayn Malik se apresentam por aqui. 

+ Queens of The Stone Age faz show em setembro

Para manter o planejamento iniciado em 2013, as fãs ficam ligadas no Twitter e no Facebook. Formaram até um grupo no Whatsapp para lidar com perrengues que vão muito além do imprevisível clima paulistano. Contra o forte cheiro de esgoto que sobe durante todo o dia ao redor do estádio, por exemplo, as meninas usam aromatizador de ar.

One Direction - This Is Us
O show dos ingleses: espetáculo pop que virou fenômeno mundial (Foto: Divulgação)

Já para evitar assaltos, a estratégia é andar sempre com os pertences mais importantes, como celular e dinheiro, junto ao corpo. As baratas, porém, parecem ser um problema sem solução. “Os mata-insetos só pioram a nossa situação. Você joga em uma e aparecem mais cem”, lamenta Jaqueline.

Outra aparente ameaça, segundo as meninas, são as pessoas que circulam pela região provocando o grupo. “Se não gostam do São Paulo, mexem com a gente. Se não gostam da banda, mexem com a gente. Eles deveriam nos respeitar”, reclama Ariane, que já teve um ovo arremessado em sua barraca durante a madrugada.

As necessidades básicas e de higiene são facilmente contornadas. Quando precisam ir ao banheiro, elas usam o do estádio. E, para tomarem banho, pagam R$ 5,00 em uma pensão ali perto. Para comer, no entanto, o sufoco é um pouco maior. As garotas precisam andar cerca de vinte minutos até a casa de esfihas ou ao supermercado mais próximo.

Fãs One Direction
Perrengues: grupo enfrentou a chuva dos últimos dias (Foto: Mariana Oliveira)

Ellen Laureto, de 17 anos, é a mais experiente em acampamentos de fãs. Já ficou por dias nas filas para ver Demi Lovato e Jonas Brothers, além do evento teen Z Festival. Mesmo cumprindo turnos desde o dia 16 de março, Ellen diz não ter sido esse o motivo por que trancou a faculdade de design gráfico naquele mês.  “Minha mãe já passou uma noite comigo na fila para ver a Demi e até achou legal. Depois que ela viu que tem posto policial aqui perto, nem quer vir mais”, diz a veterana, sobre a aprovação dos pais.

A dificuldade que Ariane Gambeiro passou para convencer o pai e a mãe foi maior. “Eles têm que entrar no meu ritmo”, afirma a adolescente que ganhou de presente os ingressos para os dois dias de show. “Tive que explicar para minha mãe que, se eu saísse do grupo, ia acabar com o planejamento das meninas”.

A mãe, dona Rose, que passou uma noite com a filha, disse ter recebido críticas sobre a permissão. Embora fique preocupada, não se arrepende: “é um sonho para ela e eu já tive essa idade. Temos que participar e fazer com que nossos filhos sejam felizes”.

Fonte: VEJA SÃO PAULO