Política

FHC diz que 'Dilma e sua equipe pintam um Brasil cor-de-rosa'

O ex-presidente afirmou que o país vive um impasse. "Acabaram os recursos e a sociedade não quer mais pagar imposto", afirmou durante lançamento de seu novo livro

Por: Jussara Soares - Atualizado em

Fernando Henrique Cardoso
FHC durante lançamento do livro 'A Miséria da Política', com crônicas de sua autoria (Foto: Jussara Soares)

Em evento de lançamento de seu novo livro, A Miséria da Política, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou na tarde desta quarta-feira (16) que o país enfrenta um impasse. "Os últimos governos levaram o Brasil à quebra do Tesouro, e a sociedade não quer mais pagar imposto", disse.

Apontou o despreparo do governo de Dilma Rousseff e a falta de planejamento como agravantes da situação atual. "Dilma e sua equipe pintam um Brasil completamente cor-de-rosa", afirmou.

+ USP vai congelar 20% dos gastos

Ao ser questionado sobre um eventual impeachment contra Dilma, deixou claro que entende o ato como "uma possibilidade, não um golpe". Complementou: "Não se trata de uma torcida, mas há fatos apontados por canais institucionais". 

A relação com Lula também foi discutida pelo ex-presidente durante a sessão de autógrafos. FHC afirmou que não sente mágoas do petista, mas "decepção". "Lula perdeu a oportunidade de fazer uma nova política no Brasil, se aliou ao que há de mais atrasado. Ao chegar ao poder ficou como um 'pinto no lixo'", comentou.

Complementou dizendo que o "Lula está perplexo com com tudo o que está acontecendo. Mas não foi a Dilma que errou. Ela é um acidente do Lulopetismo".

Apesar de lançar ofensivas contra o PT, Fernando Henrique Cardoso revelou durante o encontro com leitores que mantém diálogo com membros do partido. "Fui ao teatro com o prefeito Fernando Haddad. Isso é importante num momento de acirramento político".

+ Em nova fuga, 28 jovens escapam da Fundação Casa 

A obra A Miséria da Política: Crônicas do Lulopetismo e Outros Escritos, lançada pela editora Civilização Brasileira, reúne textos escritos por Fernando Henrique Cardoso entre 2010 e 2015 em jornais como O Globo e O Estado de S. Paulo.

Cerca de 150 pessoas compareceram ao evento no Teatro Eva Herz, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional.

Fonte: VEJA SÃO PAULO