Música

Festival de Campos do Jordão tem excelente cardápio de atrações

Em sua 43ª edição, evento passa a ser comandado pela Osesp e ganha uma das melhores programações dos últimos anos

Por: Jonas Lopes - Atualizado em

Marin Alsop - Festival de Campos do Jordão - 2275
Marin Alsop rege um concerto na sala são Paulo: 77 apresentações programadas para o evento (Foto: Alessandra Fratus)

Tradição da temporada de frio, o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão chega à 43ª edição com uma novidade importante. Depois de gerir o evento por três anos, a organização social Santa Marcelina Cultura passa o bastão para a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp). Trata-se de uma espécie de retorno às origens, pois uma das principais figuras da história do evento foi o maestro Eleazar de Carvalho (1912- 1996), diretor da orquestra por mais de duas décadas.

As atrações deste ano vão até 29 de julho e têm início no sábado (30), com um concerto da própria Osesp em homenagem a Eleazar, cujo centenário de nascimento será comemorado em 28 de julho. Dentro do espírito de celebração, o programa terá a “Missa Solemnis em Ré Maior Op. 123”, de Beethoven, com regência do maestro dinamarquês Thomas Dausgaard. No total, serão 77 apresentações, tanto em Campos do Jordão quanto na Sala São Paulo. Há récitas previstas não apenas para o Auditório Cláudio Santoro, mas também para a capela do Palácio Alto da Boa Vista e várias igrejas locais. Um telão na Praça do Capivari transmitirá as atrações. O orçamento da edição 2012 é de 6 milhões de reais, sendo 2,5 milhões desse valor bancados pelo governo estadual.

+ Clique e faça o download da programação completa

+ Clique e confira os endereços dos concertos em Campos do Jordão

+ Leia entrevista com o maestro Roberto Minczuk

Mesmo com pouco tempo para a organização — o anúncio oficial da mudança de mãos se deu em fevereiro —, a Osesp conseguiu montar um dos cardápios de espetáculos mais interessantes dos últimos anos. Entre os convidados internacionais estão a pianista polonesa Ewa Kupiec, o Quarteto Vogler, da Alemanha, e a violinista americana Sarah Chang (veja abaixo). Sem falar da nata do cenário erudito nacional: o violoncelista Antonio Meneses, a Filarmônica de Minas Gerais, o Quarteto Osesp, o violonista Fábio Zanon, a Orquestra Sinfônica Brasileira e vários outros convidados.

Além do habitual calendário de apresentações, o festival promete fortalecer ainda mais a veia educacional que o caracteriza desde o início. “Sua vocação sempre foi pedagógica”, diz o secretário estadual da Cultura, Marcelo Araujo. Foram firmados, por exemplo, convênios com três conservatórios europeus e dois americanos, que mandarão professores para atender os 135 bolsistas selecionados. Os alunos ficarão hospedados num hotel, com direito a serviço de van entre as salas de aula e as de espetáculo. “A melhor experiência para eles vai ser trabalhar com regentes estrangeiros”, afirma Cláudio Cruz, diretor pedagógico e spalla da Osesp.

Ele se refere aos três programas que a Orquestra do Festival fará com a americana Marin Alsop, titular da formação paulista, o inglês sir Richard Armstrong e o costa-riquenho Giancarlo Guerrero. As récitas terão ainda a participação de solistas de renome, a exemplo do pianista mineiro Nelson Freire, do violoncelista Johannes Moser e da soprano Susanne Bernhard, ambos alemães. Segundo Marcelo Araujo, a mudança não tem a ver com qualidade, e sim com questões de política cultural. “Estamos apostando no Sistema Paulista de Música, no qual os diversos aparelhos do governo articulam ações de maneira mais linear”, conta. A ideia é que jovens músicos comecem um percurso de aprendizado pelo Projeto Guri, passem pela Escola de Música do Estado de São Paulo — Tom Jobim (Emesp) e cheguem à Academia da Osesp e ao Festival de Campos do Jordão.

As cerejas do bolo

Festival de Campos do Jordão - 2275
Richard Armstrong, Sarah Chang, Thomas Dausgaard, Quarteto Vogler, Ewa Kupiec e Johannes Moser: atrações que valem a viagem até a serra (Foto: Veja São Paulo)

AUDITÓRIO CLÁUDIO SANTORO

30/6 - O dinamarquês Thomas Dausgaard rege a pouco executada “Missa Solemnis”, de Beethoven, com a Osesp

7/7 - Formada por bolsistas, a Orquestra do Festival será comandada pelo inglês sir Richard Armstrong

8/7 - Sob a regência de sua titular, Marin Alsop, a Osesp recebe o violoncelista alemão Johannes Moser

9/7 - Em recital com Bach, Beethoven e Britten, Moser une-se a Olga Kopylova, pianista da Osesp

12/7 - Vindo da Alemanha, o Quarteto Vogler toca obras de Haydn, Schubert e do pouco conhecido Erwin Schulhoff

17/7 - Principal violonista erudito brasileiro, Fábio Zanon mistura barrocos e modernistas no repertório

18/7 - Temas de Schubert, Mendelssohn e Chopin compõem o programa da pianista polonesa Ewa Kupiec

10/7 - Sob a batuta de Roberto Minczuk, a OSB executa obras de Shostakovich, Richard Strauss e Edino Krieger

21/7 - Nelson Freire e Marin Alsop oferecem a sua experiência aos bolsistas da Orquestra do Festival

27/7 - Um dos grandes nomes do violino hoje, a americana Sarah Chang toca com a Orquestra Jovem da Colômbia

28/7 - A Filarmônica de Minas Gerais recebe uma jovem revelação do violino, o paulistano Luiz Filipe Coelho

29/7 - A Osesp encerra o festival com o maestro uruguaio Carlos Kalmar e o barítono americano Nathan Gunn

 

CAPELA DO PALÁCIO ALTO DA BOA VISTA

14/7 - O tradicional Quarteto de Cordas da Cidade toca um repertório exclusivamente brasileiro

18/7 - O clarinetista francês Romain Guyot divide o palco com o pianista paulistano Ricardo Ballestero

19/7 - Schnittke, Mozart e Villa-Lobos estão programados para a récita do Quarteto Osesp

 

IGREJA MATRIZ SANTA TEREZINHA

25/7 - Naomi Munakata rege o Coro de Câmara da Osesp, acompanhado pelo pianista Fernando Tomimura

Fonte: VEJA SÃO PAULO