VIOLÊNCIA

Festa termina em confronto entre estudantes e PMs

Jovens afirmam terem sido agredidos durante festa em república no último domingo (15)

Por: Estadão Conteúdo

agressao2
Um dos estudantes agredidos durante confusão em bauru (Foto: Reprodução)

Na noite de domingo (15), em Bauru, interior de São Paulo, um churrasco em uma república universitária acabou em confusão entre estudantes da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e policiais militares. Quatro alunos foram levados algemados para a Central de Polícia Judiciária da cidade. Segundo eles, seis ficaram feridos. Para a Polícia Militar, dois universitários e um policial foram feridos.

Após uma denúncia de perturbação por causa do som alto na república, um carro da PM chegou ao local, por volta das 22 horas. Houve bate-boca entre um dos moradores da casa, estudante de jornalismo, e um policial militar, que teria dado voz de prisão ao rapaz por desacato e chamado reforços. No total, onze carros e a Força Tática atenderam a ocorrência. Os estudantes afirmaram haver cerca de trinta pessoas no local; para a PM, eram cinquenta.

Durante a confusão, os policiais invadiram a casa e houve confronto com outros estudantes que estavam no local. O primeiro morador abordado pelos policiais, que preferiu não se identificar, foi levado algemado para o hospital. Ele terá de fazer uma cirurgia de reconstrução do cílio superior e, segundo os médicos, por pouco não perdeu a visão.

+ Confira as últimas notícias da cidade

Ainda de acordo com os estudantes, duas pessoas levaram tiros de borracha à queima roupa e outras quatro foram agredidas com socos e cacetetes. Um dos rapazes teve o nariz quebrado e outro levou seis pontos na perna. Segundo a PM, um jovem ficou ferido com um disparo de bala de borracha e o outro ficou ferido no rosto quando estava sendo algemado. Um policial também foi ferido no braço e na mão e passará por exame de corpo de delito.

Os estudantes registraram boletim de ocorrência e passaram pelo Instituto Médico-Legal (IML) para exame de corpo de delito. Para o vice-coordenador do Departamento de Comunicação Social da Unesp, Angelo Sottovia, "a agressão e a invasão da república são situações inadmissíveis".

Fonte: VEJA SÃO PAULO