Festa

Festa de São Vito utiliza 1 tonelada de tomate por fim de semana

Com 96 anos, a celebração é uma das mais tradicionais da cidade e recebe 4 000 pessoas a cada sábado e domingo

Por: Vinicius Tamamoto - Atualizado em

Em 1895, a primeira imagem de São Vito - o protetor dos artistas, dos que sofrem de doenças nervosas, dos jovens e dos dependentes de drogas - chegou ao bairro do Brás. Vindo  da cidade de Polignano a Mare, na Itália, o santo católico segue até hoje unindo gerações de italianos aqui na cidade. 

Celebrada ininterruptamente desde 1918, a Festa de São Vito Mártir, organizada pela associação de mesmo nome, está entre as mais tradicionais de São Paulo. Durante o período de comemoração, voluntários preparam delícias para encher a barriga de um exército faminto formado por 4 000 pessoas por fim de semana. Ali a mesa farta italiana toma proporções gigantescas: para cada sábado e domingo são usados 100 quilos de batata, 120 quilos de mussarela, 400 quilos de macarrão, 440 quilos de berinjela, 700 quilos de farinha de trigo e 1 tonelada de tomate. Acredite: 8 000 unidades de ficazzela (uma espécie de pastel frito) e 600 de fogaça saem nesses dias.

Os colaboradores juram que  a fé e o amor pelo santo siciliano são os diferenciais da festa. Mas é o molho,  feito de maneira tradicional e apurado por horas a fio, o que arrebata os estômagos e corações dos frequentadores. “Em outras festas se usa molho pronto por causa de patrocínio, mas aqui não, é tudo fresquinho”, cochicha Dona Neide, de 75 anos, quase como um segredo.

A animada Dona Gina, de 82 anos, é uma das mais antigas voluntárias – bota a mão na massa há 52 edições. É dela a explicação da origem de um dos pratos mais pedidos do evento, o macarrão à putanesca (veja receita abaixo). “Tem uma versão que diz que as prostitutas preparavam a receita, mas essa história não gostam que eu conte”, diverte-se. Ela é uma das mammas voluntárias que fazem as comidas servidasno Brás. Ao todo são dezoito senhoras com idade entre 75 e 85 anos. Dica: para agradá-las, pronuncie "mámmás”, com o “a” mais aberto possível.

Festa de São Vito
Dona Gina, de 82 anos, é uma das voluntárias mais antigas (Foto: Rodrigo Dionisio/Frame)

Confira as receitas do macarrão à putanesca e do antepasto de berinjela servidos pelas mammas de São Vito.

Macarrão à putanesca
Macarrão à putanesca das mammas de São Vito (Foto: Rodrigo Dionisio/Frame)

Macarrão à putanesca

Rendimento: cinco porções

- 1/2 xícara de azeite de oliva

- 2 dentes de alho picados

- 2 quilos de tomates italianos maduros e firmes picados

- 1 cebola grande picada

- 1 colher de sopa de sal

- 200 gramas de azeitona preta sem caroço

- 200 gramas de azeitonas verde sem caroço

- 100 gramas de alcaparra

- Pimenta vermelha a gosto

Cozinhe a massa na água fervente com sal até que fique al dente. Enquanto isso, em uma panela, aqueça o azeite e refogue a cebola e o alho. Acrescente os tomates e mexa bem. Em seguida, misture os outros ingredientes e deixe apurar por cerca de cinco minutos em fogo baixo. Escorra a água da massa e coloque o molho por cima. Se desejar, acrescente queijo ralado para finalizar.

Antepasto de berinjela
O  antepasto de berinjela servido na Festa de São Vito (Foto: Rodrigo Dionisio/Frame)

Antepasto de berinjela

Rendimento: 600 gramas

- 2 berinjelas descascadas e cortadas em tiras

- 2 cebolas grandes cortadas em tiras

- 200 gramas de cogumelos

- 150 gramas de uva passa

- azeite

- vinagre

- 100 mililitros de água (ou o necessário)

- azeitonas verdes a gosto

- orégano

Em uma travessa, misture todos os ingredientes e por último polvilhe o orégano. Cubra com papel alumínio e leve ao forno pré-aquecido por cerca de quarenta minutos. Após esse tempo, retire o papel e aguarde mais quinze minutos. Tire do forno, espere esfriar e coloque em um pote de vidro. Na geladeira, o antepasto dura cerca de duas semanas. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO