Serviço

Férias educativas: os cursos mais bacanas da cidade

Conheça algumas atividades oferecidas por espaços na capital e por acampamentos ao redor de São Paulo

Por: Claudia Jordão e Flora Monteiro - Atualizado em

Férias educativas 2247
De artesanato e ciências a jardinagem e culinária: mais de dez cursos para quem está sem aula (Foto: Divulgação)

A partir desta semana, a garotada vai trocar o despertador por um tempo extra na cama, o uniforme por roupas cômodas e a mochila pela mala de viagem. Mas, se depender das atividades nos acampamentos — destino de mais de 5.000 paulistanos de 4 a 16 anos nesta época do ano — e das atrações em outros lugares que costumam receber a turma que fica em São Paulo, os jovens não deixarão de assimilar conhecimento nem mesmo no período de férias. Nos meses de dezembro e janeiro, a cidade oferece uma ampla gama de passatempos que divertem e, ao mesmo tempo, ensinam, nas mais diversas áreas — de moda e culinária a ciência e tecnologia.

Uma das grandes novidades são os cursos no setor de meio ambiente. No acampamento Águias da Serra, no bairro de Embura, no extremo sul da metrópole, haverá oficinas de material reciclado que transformam garrafas PET em foguetes de brinquedo. No Ateliê Sucatinha de Luxo, em Pinheiros, os participantes vão se inspirar no mestre do impressionismo Vincent van Gogh para criar girassóis de sucata e papel machê. Também estão agendadas, em outros endereços, lições de compostagem e criação de ecobags.

+ O melhor da semana para as crianças

+ Cursos para desenhar HQ

Algumas programações tratam de ofícios e passatempos que antes eram aprendidos em quase todas as casas. Exemplo disso são as aulas de tricô, no Novelaria Knit Café, na Vila Madalena, e os workshops de jardinagem, no viveiro Sabor de Fazenda, na Vila Maria, entre outros. “Até pouco tempo atrás, as mães mostravam aos filhos como cuidar das plantas”, diz a herborista Silvia Jeha. “Hoje, elas trabalham fora e eles costumam ter nojo da terra.” Diante da multiplicação de ofertas, os especialistas na área de pedagogia fazem o alerta de que os programas não devem representar um peso para a criança, que precisa de descanso. O ideal é que eles sejam uma oportunidade para ela relaxar e fazer o que a atrai — e, quem sabe, descobrir um hobby ou um novo talento.

Fonte: VEJA SÃO PAULO