Astronomia

Fenômeno “lua azul” acontece nesta sexta

Astrônomo afirma, porém, que nome é uma “licença poética”

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

LUA
Lua azul: céu de São Paulo deve estar sem nuvens nesta sexta (31) (Foto: Roberto Stuckert / Fotos Públicas)

O último dia de julho ficará marcado pela "lua azul". O fenômeno marca a segunda lua cheia que ocorre em um mesmo mês. Essa situação acontece em um intervalo de aproximadamente dois anos. Apesar do nome, o satélite natural não fica com essa coloração.

+ Prefeitura volta atrás e descarta fechar marginais durante a madrugada

De acordo com o astrônomo Julio Lobo, do Observatório Municipal de Campinas, a história não passa de um rumor que surgiu há mais de um século. "É apenas uma referência, a lua não ficará azulada. É uma licença poética."

+ Avenidas Paulista e Bernardino de Campos ficarão fechadas no dia 23

Segundo Lobo, o termo apareceu com força na década de 40 e, apesar de esquecido por um tempo, foi resgatado por uma astrônoma americana mais de trinta anos depois. Houve um tempo, porém, que a lua realmente ficou azul, conforme o astrônomo. Foi em 1883, quando o vulcão Krakatoa explodiu na Indonésia e a atmosfera ficou carregada por partículas de poeira e cinzas vulcânicas que deixaram o satélite natural com pigmentação azulada.

+ Acompanhe as principais notícias da cidade

Lobo explica ainda que a expressão é bastante usada pelos agricultores para determinar as épocas de colheita. "De certa forma, isso também ajudou a difundir essa ideia." Mesmo cinza, quem quiser observar a lua desta sexta (31) em São Paulo terá um ajuda do clima: o céu deve estar limpo, sem nuvens.

Fonte: VEJA SÃO PAULO