Micareta

Banda Eva traz Felipe Pezzoni, novo vocalista, para o Carnafacul

Oitavo vocalista do grupo, Felipe Pezzoni apresentará trajetória musical da Eva no Anhembi

Por: Redação Veja São Paulo - Atualizado em

felipe pezzoni_banda eva
Felipe Pezzoni: no aquecimento para se apresentar ao público paulistano (Foto: Jefferson Peixoto)

Cada vez mais eclético, o Carnafacul celebra dez anos com a expectativa de atrair 60 mil foliões no Anhembi no dia 18 de maio.  Naldo, Fernando & Sorocaba, Turma do Pagode e, como não poderia faltar, o axé de Banda Eva estão confirmados para entrar na avenida.

Desde fevereiro - mais precisamente na Quarta-feira de Cinzas - no comando da banda, Felipe Pezzoni estreia este ano na folia universitária paulistana. "Fizemos uma micareta em Ribeirão e deu para sentir um pouco o clima da galera [paulista]", diz ele. Para aquecer os foliões, VEJA SÃO PAULO.COM conversou com o cantor, que se prepara para encarar os milhares de fãs da banda no maior Carnaval fora de época da cidade.

A Banda Eva tem a tradição de revelar grandes artistas, como Ivete Sangalo, Emanuelle Araújo e Saulo Fernandes. Como você se sente em relação a essa responsabilidade? É justamente isso. Grande responsabilidade. A minha maior preocupação é mostrar um bom show. Iniciamos um novo ciclo, mas não podemos esquecer o histórico do grupo, que é marcante. E eu acompanhei mesmo. Era um dos fãs e, agora, estando em cima do trio, é como um combustível. Saber que os que sairam daqui, sairam bem e são respeitados pelo trabalho, só me inspira ainda mais.

Como está se preparando para encarar o público paulistano? Estou ansioso. Mas já estamos ensaiando. Fizemos a apresentação em Ribeirão Preto e deu para sentir um pouco do clima da galera.

O que a gente pode esperar de hits para o Carnafacul? Vamos traçar a trajetória da banda. Tem músicas que marcaram o Carnaval e, apesar de ganhar releituras, não mudamos muito. Como Eva, que é nosso hino praticamente. É Carnaval também não pode faltar. Preparamos uma versão de Marisa Monte, da música Não vai Embora, que está agradando bastante.

É possível trazer o clima da Bahia para São Paulo? Com certeza. É só vir de coração aberto, pensando em curtir, que a gente faz o resto.

Fonte: VEJA SÃO PAULO