Transporte

Fechamento da estação da Luz superlota a Barra Funda

Com empecilho, usuários têm demorado mais para fazer seus trajetos habituais

Por: Estadão Conteúdo

Estação da Luz incêndio
Estação da Luz após incêndio (Foto: Eleven/Folhapress)

O fechamento de plataformas na Luz das Linhas 7 e 11 da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) deixou superlotadas, no horário de pico, as plataformas da estação Barra Funda, na Zona Oeste da capital na terça-feira (22). Por volta das 18h30, pessoas disputavam um lugar mais perto das portas do metrô. Outras preferiam aguardar a diminuição do movimento em bancos ou sentadas no chão.

+ Fotos mostram destruição no Museu da Língua Portuguesa

Com o incêndio, a técnica de farmácia Aline Moreira, de 24 anos, que mora em Perus, na Zona Oeste, passou a levar três horas para chegar ao trabalho, nas imediações da estação Vergueiro do Metrô, trajeto que fazia em uma hora. "Tive de sair de casa às 18 horas. Contando com o tempo de espera nas plataformas e as baldeações, estou demorando três horas para chegar ao trabalho."

Havia queixas de quem fazia trechos menos longos. "Está mais complicado para voltar para casa. Eu costumo ir para Itaquera pegando o trem na Luz, porque faço o percurso em 25 minutos. De metrô, dá quarenta", diz a tecnóloga em sistemas elétricos Camila França, de 27 anos.

No Brás, o embarque ocorria sem filas às 18 horas. A dificuldade era como chegar em casa. "Ficou horrível. Trabalho na Paulista e ia para a Luz, pela Linha Amarela, para pegar o trem. Agora, tenho de ir à República, que está lotada, para entrar na Linha Vermelha e pegar o trem no Brás", disse Vanessa Boscolo, de 28 anos.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Estadão Conteúdo