Fast-Food

Fast-food: veja cinco opções diferentes que vão do indiano ao yakisoba

A cidade está lotada de locais que servem comida expressa de boa qualidade e com preços acessíveis

Por: Mariana Bernun - Atualizado em

Fast-food Madhu
(Foto: Veja São Paulo)

Fast-food não precisa ser sinônimo de batata frita e hambúrguer. Em São Paulo, existem casas que apresentam pratos típicos rápidos, diferenciados, saudáveis e a preços acessíveis de várias regiões do mundo. Um exemplo disso é o restaurante Madhu, localizado na Rua Augusta, que oferece culinária indiana na forma de combinados especiais.

“A casa foi formada por alguns sócios, entre parentes e amigos de longa data, e nossas receitas são originais e foram passadas de geração em geração para chegarem até os nossos clientes”, conta Leonardo Menezes, dono e gerente do estabelecimento.

O restaurante irá lançar novo cardápio no dia 15 de agosto, data de comemoração da Independência da Índia. O destaque vai para três combos vegetarianos servidos na característica bandeja fast-food: uma salada à base de folhas e queijo branco com molho curry (com azeite, calda de rapadura e especiarias indianas); uma combinação nova do biryiani vegetariano (prato de arroz acrescido de legumes, frutas secas, temperos típicos indianos e especiarias, como a castanha de caju); e um combinado tendo o appam como carro chefe (panqueca de arroz no leite de coco, preparada na frente dos clientes).

Apesar de o expresso indiano ser recente - inaugurado em janeiro deste ano -, Leonardo afirma ter percebido grande aceitação do público. “Desde que abrimos, tivemos que colocar mais mesas, aumentamos a quantidade de clientes, ampliamos os nossos horários e passamos a abrir aos domingos, além de duplicar o quadro de funcionários”. A perspectiva do dono para o Madhu é abrir outras filiais dentro e fora de São Paulo.

Além do indiano, existem outras opções de restaurantes que se encaixam no perfil de fast-food por oferecerem refeições rápidas e práticas, como o mexicano Tollocos (com o famoso burrito texano), o oriental Yakisoba Factory (com diversas receitas do macarrão que dá nome à casa), o árabe Rulla Kebab e a lanchonete porteña Empanadas Caminito.

Confira abaixo do mapa mais detalhes dos cinco restaurantes fast-food.

  • Salgados

    Empanadas Caminito

    Alameda Dos Indígenas, 83, Planalto Paulista

    Tel: (11) 5055 0551 ou (11) 5051 0591

    VejaSP
    6 avaliações

    Assim como Buenos Aires recebe turistas de todos os lugares do mundo, esta casa especializada no salgado típico da Argentina também acolhe públicos dos mais diferentes perfis. Extenso, o cardápio lista trinta recheios para o salgado portenho, da clássica versão de carne (R$ 7,20) a combinações como abóbora, carne-seca e provolone (R$ 8,90). Há ainda amigos descontraídos como se estivessem num bar, dividindo uma cerveja Norteña (R$ 22,00, 960 mililitros), e aqueles que só passam e fazem o pedido para viagem. Como não há vitrines com os quitutes já prontos, é preciso aguardar que sejam assados na hora. Quem mora na região conta com serviço de delivery. Para a sobremesa, oferece três variações de alfajor: de biscoito de maisena (R$ 6,00), coberto por chocolate (R$ 6,00) ou finalizado com uma espécie de cocada firme (R$ 7,00).

    Preços checados em 17 de agosto de 2016.

    Saiba mais
  • Indianos

    Madhu

    Rua Augusta, 1422, Consolação

    Tel: (11) 3262 5535

    6 avaliações
  • Lanchonetes

    Rulla Kebab

    Rua Da Consolação, 3193, Cerqueira César

    Sem avaliação
  • Salgados

    Tollocos

    Rua Augusta, 1524, Consolação

    Tel: (11) 3283 1620

    9 avaliações
  • Comidinhas variadas

    Yakisoba Factory

    Rua Gomes De Carvalho, 1086, Vila Olímpia

    Tel: (11) 2366 1474

    1 avaliação

    É uma pena o salão ser tão simples e estreito. Além da receita clássica, o chef taiwanês Kiko Hwang propõe outras quatro versões do prato de macarrão oriental. A massa de fios crocantes serve de base para o caramel chiken soba, acrescido de frango empanado ao molho agridoce, e para o shimeji soba. Se a fome não for muito grande, fique com meia-porção.

    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO