Ferraz de Vasconcelos

Mãe e quatro filhos foram mortos por vazamento de monóxido de carbono

Boliviano, preso preventinamente sob suspeita de assassinato, deve ser solto em breve

Por: Juliana Deodoro - Atualizado em

karina ferraz vasconcelos
Os irmão Karina, Carlos e Caroline, foram encontrados mortos na segunda-feira passada (16) (Foto: Reprodução / Facebook)

A auxiliar de enfermagem Dina Vieira da Silva, de 42 anos, e seus quatro filhos, encontrados caídos no chão do imóvel em Ferraz de Vasconcelos no dia 16, morreram por causa de um vazamento de monóxido de carbono do sistema de aquecimento do apartamento onde moravam. O namorado de Dina, o boliviano Alex Quiñones Pedraza, preso desde terça (17) por suspeita de ter cometido o crime, deve ser liberado em breve.

Laudos periciais feitos no apartamento e nos corpos apontam que as cinco vítimas foram intoxicadas com o gás. Suco e bolo que estavam na residência também foram testados, mas nenhuma substância foi encontrada nos alimentos.

Na segunda (23), a filha caçula de Dina, fruto de seu relacionamento com o boliviano, foi ouvida no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A menina de 6 anos disse aos investigadores que havia comido o bolo. Ela comentou ainda que a mãe pensava em trocar o chuveiro por causa do cheiro de gás. 

A advogada de Pedraza, Patrícia Vega, disse que espera um pedido do próprio DHPP para que seu cliente seja liberado. "Estou quase certa de que ele sai ainda hoje."

Caso

Dina Vieira da Silva, de 42 anos, suas três filhas de 16, 11 e 7 anos e seu filho, de 12, foram encontrados caídos no chão do imóvel em meio a vômito e fezes. Os corpos foram achados pelo namorado, Alex Quiñones Pedraza, que pediu a ajuda de um porteiro para abrir a porta.

Não havia sinais de violência física ou de sangue na residência. A mãe e as filhas de 16 e 11 anos estavam vestidas apenas com camisetas, sem roupas íntimas. O gás do apartamento estava ligado.

Fonte: VEJA SÃO PAULO