Cidade

Falta de luz irrita moradores e causa prejuízos a comerciantes

Após chuva forte, corte no abastecimento afetou mais de 800 000 imóveis na região metropolitana 

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

A chuva forte que atingiu a região metropolitana de São Paulo na tarde de segunda-feira (12) deixou cerca de 800 000 imóveis sem luz. A falta de energia ainda continuava em alguns pontos da cidade até a noite desta terça havia mais de 300 000 imóveis às escuras. 

O caos na cidade afetou diversos estabelecimentos comerciais, delegacias e unidades de saúde. Irritados, alguns moradores registraram o drama vivido nos últimos dias e publicaram imagens em seus perfis em rede sociais. Muitos relatam que os ventos fortes e a queda de árvores – mais de 900 caíram em quinze dias – provocaram a falta de abastecimento.

“Ficamos dois dias inteiros sem energia. O sistema de refrigeração ficou completamente comprometido. Perdemos carnes, peixes, frangos, comidas pré-preparadas”, afirmou a gerente e proprietária do Maní, Flávia Marioto.

O restaurante, localizado na rua Joaquim Antunes, em Pinheiros, não pôde vender sequer cafés ou sucos aos clientes. “Com a rua completamente no escuro, ainda ficamos sem segurança”, afirmou a dona do estabelecimento.

São Paulo Sem Luz
Fachada da Mercearia do Conde, em Pinheiros, que foi afetado com a falta de luz e não abriu para o jantar na noite de terça (Foto: Reprodução/Facebook)

Outros bares e restaurantes na mesma rua precisaram ser fechados durante o período de queda de luz. O Mercearia do Conde decidiu não abrir as portas para o jantar na noite de terça. Já o Olea Mozzarella Bar jogou comida no lixo por falta de refrigeração. O Saj, restaurante de comida árabe, alugou um gerador para sustentar o fornecimento de energia durante o blecaute.

O corte na luz deixou uma UBS em Paraisópolis sem energia por mais de 24 horas. Ao menos 300 pacientes precisam cancelar as consultas marcadas.

Multa

A demora no restabelecimento de energia no Hospital Municipal de e Maternidade Amador Aguiar, em Osasco, gerou multa de 3,7 milhões de reais a Eletropaulo. A maternidade ficou sem energia após os temporais que atingiram a região na semana passada.

O Procon, órgão que autuou a Eletropaulo, afirma ter solicitado as gravações dos atendimentos telefônicos entre a concessionária e o hospital e que os áudios comprovaram falha no atendimento da concessionária.

O Procon-SP avalia ainda outras sanções sobre casos em análise. Conforme nota, são mais de mil reclamações recebidas contra a Eletropaulo desde 29 de dezembro. (Com Estadão Conteúdo)

Telefones úteis

Para quem ligar em casos de problemas causados pelas chuvas

Falta de luz

Eletropaulo: 0800 72 72 196

Ilume: 0800 779 0156 – se o problema for na rua

Queda árvores

Defesa Civil: 199

Coordenação Municipal da Defesa Civil: 3313-7205

Corpo de Bombeiros: 193

Alagamentos

Defesa Civil: 199

Corpo de Bombeiros: 193

Semáforos apagados

CET: 1188

Fonte: VEJA SÃO PAULO