Memória

Exposição do Arquivo Público reúne fotografias do jornal 'Última Hora'

Mostra reúne noventa imagens que retratam a cidade nos anos 50 e 60

Por: Jussara Soares

 Enchente em São Paulo janeiro de 1965
Enchente no centro de São Paulo, em 1965 (Foto: Fundo do Última Hora/Arquivo Público do Estado de São Paulo)

Os flagrantes deveriam narrar o cotidiano da capital nos anos 50 e 60, mas boa parte dos assuntos retratados continua bem atual. É o que fica claro quando se vê o conjunto de noventa fotos da exposição Última Hora: Imagens de um Acervo. Inaugurada na quarta passada, ela poderá ser visitada até o dia 22 no Arquivo Público do Estado, em Santana (de segunda a sexta, das 9h às 17h, com entrada gratuita).

+ Vídeos antigos mostram a vida na capital dos anos 40 aos 80

Entre os registros, há o de uma enchente no centro, em 1965, e o de um protesto com ônibus queimados na Vila Maria, em 1962. O Arquivo Público tem a posse de 166 000 fotogramas do diário desde a década de 80, mas somente em 2014 um projeto possibilitou a organização, higienização e digitalização do material. A previsão é que todo ele esteja disponível para consulta no site da instituição até o fim do ano que vem.

Protestos  Vila Maria depredam - março de 1962
Protesto contra o transporte público, em 1962: moradores da Vila Maria incendeiam ônibus (Foto: Fundo do Último Hora/Arquivo Público do Estado de São Paulo)

Fundado em 1951, no Rio de Janeiro, pelo jornalista Samuel Wainer, e com o apoio do governo Getúlio Vargas, o Última Hora ganhou uma versão paulistana em 1952. A redação ficava próxima ao complexo do Mosteiro de São Bento. De lá, saíam duas edições diárias: uma matutina e a outra vespertina. O título deixou de circular por aqui em 1971.

Fonte: VEJA SÃO PAULO