Polícia

Mulher confessa ter mandado matar marido

O crime aconteceu na região da Berrini. Professora pretendia ficar com amante. Executor era ex-detento e estava em liberdade condicional

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

empresário assassinado berrini
Barreto e a esposa Eliane: há doze anos em um caso extraconjugal (Foto: Reprodução)

A morte no último dia 1º do diretor comercial de uma empresa de informática, Luiz Eduardo de Almeida Barreto, de 49 anos, foi encomendada. Segundo a Polícia Civil, o homem foi morto a mando de sua esposa Eliana Freitas Areco Barreto e seu amante, o inspetor de segurança de um shopping Marcos Fabio Zeitunsian, ambos de 46 anos. A professora era casada com Luiz havia trinta anos, porém tinha um caso extraconjugal há doze anos. A ideia da mulher consistia em conseguir o dinheiro do seguro.

+ Entenda o caso: homem morre em tentativa de assalto na região da Berrini

Nesta terça (2), aconteceu o enterro de Luiz. Eliana participou e se mostrou transtornada. Nesta quarta (3), ela foi à delegacia prestar depoimento, foi interrogada e acabou confessando o crime. Foi presa em seguida. Marcos foi detido em sua casa em Santana durante a manhã.

De acordo com a polícia, Eliana disponibilizou 7 000 reais para pagar Eliezer Aragão da Silva, ex-detento que havia sido solto da prisão por liberdade condicional. Entretanto, Marcos pagou apenas 3000 reais ao executor. O contratado simulou um assalto na região da Berrini, onde Luiz trabalhava, junto de outros dois homens. Disparou no abdômen da vítima com um arma de calibre 38. Ele também foi preso.

empresário assassinado berrini
O amante Marcos Zeitunsian: pagou 3 000 reais para um ex-detento assassinar executivo (Foto: Reprodução)

Durante a investigação, a polícia checou as imagens de câmeras de vigilância da região e viu Marcos indicando para o matador de aluguel em quem ele deveria atirar um pouco antes do crime. O celular do assassino tinha uma foto da vítima e também registro de ligações do amante de Eliana.

Luiz ficava em São Paulo durante a semana, em um apartamento no Morumbi, e aos finais de semana voltava para sua casa em Aparecida, no interior, onde morava a esposa. O casal tinha dois filhos, um de 15 e outro de 17 anos.

Eliana crime berrini
Eliana, saindo da delegacia nesta quarta (3) (Foto: Veja São Paulo)

Fonte: VEJA SÃO PAULO