Mistérios

Fotógrafo cego é destaque em exposição do MAM

Retratos do esloveno Evgen Bavcar também foram adaptados para o formato 3D

Por: Julia Flamingo

Evgen Bavcar
Jogos de xadrez para cegos têm os quadrados brancos e pretos de alturas diferentes (Foto: Divulgação)

O Museu de Arte Moderna (MAM), no Parque do Ibirapuera, recebe, até 5 de junho, a mostra Educação como Matéria-Prima. Entre os trabalhos, destacam-se as fotografias (algumas delas no formato 3D) do esloveno Evgen Bavcar. Cego desde os 12 anos, quando um galho de árvore perfurou seu olho esquerdo e a explosão de uma mina afetou o direito, ele idealizou uma maneira de fazer os cliques a partir do som e do contato.

Evgen Bavcar
O fotógrafo teve os dois olhos prejudicados em ocasiões diferentes (Foto: Divulgação)

Para fotografar as esculturas do Museu Arqueológico Nacional de Nápoles, por exemplo, Bavcar (pronuncia-se Balcar) pôde tocar em todas as obras. Em sua opinião, os deficientes visuais têm a mesma sensibilidade para a arte que os videntes, com a diferença de que eles enxergam “por todos os poros do corpo”.

+ Nove motivos para conhecer o templo Zu Lai

Evgen Bavcar
Para tirar fotos do Museu Arqueológico de Nápoles, Bavcar teve a permissão de tocar em todas as peças do museu, um privilégio de poucos (Foto: Divulgação)

Para conseguir fazer as composições, o artista dispõe de alguns macetes:

› Em alguns casos, para que ele perceba o movimento,colocam-se sinos nos pés das pessoas que serão retratadas

› Bavcar conta também com a ajuda de terceiros, que descrevem o que estão vendo

› Para facilitar o trabalho, sua máquina possui alguns comandos com indicação em braile

Fonte: VEJA SÃO PAULO