Política

"Não me chame para briga porque eu volto”, diz Lula

Em evento da CUT, ex-presidente afirmou que tem “vontade de brigar” e pediu para os trabalhadores terem paciência com Dilma Rousseff

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Lula
Lula participou de evento no Vale do Anhangabaú nesta sexta (1º) (Foto: Vanessa Carvalho/Brazil Photo Press/Folhapress)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) participou nesta sexta (1º) do evento promovido pela Central Única dos Trabalhadores no Vale do Anhangabaú. Em seu discurso, afirmou não entender o medo de que ele reassuma o governo brasileiro. Apesar de afirmar que não tem intenção de se eleger novamente, destacou: "Não me chame para briga porque eu volto. Eu não tenho intenção de ser candidato a nada, mas eu tenho vontade de brigar. A Dilma é presidente e eu quero que ela governe esse país e eu fico quieto no meu lugar para não dizer que eu estou tendo ingerência."

+ Operação Lava-Jato: quem são os defensores dos investigados

Lula ainda pediu aos trabalhadores para que tenham paciência com a presidente Dilma Rousseff. É preciso, segundo ele, dar as mãos a ela num momento de dificuldades. "Quero pedir a vocês que muitas vezes ficam nervosos com a Dilma, irritados, que temos de ter paciência, como temos de ter com a mãe da gente. Ela foi eleita para governar quatro anos. Temos de ver o resultado final desse governo. Não tenho dúvida que daqui a quatro anos estaremos comemorando o êxito do seu mandato"

+ Anatel permite que Silvio Santos mantenha controle de TV por assinatura

Para Lula, a elite brasileira, que contempla empresários e banqueiros, deveria agradecer sua passagem e a de Dilma no governo. Na sua opinião, porém, eles são "masoquistas e gostam de sofrer". O evento foi organizado pela CUT, CTB, Intersindical, MST, MTST, CMP, FAF e organizações dos movimentos sociais, estudantil e sindical (Estadão Conteúdo).

Fonte: VEJA SÃO PAULO